Viabilidade financeira define uso de água residual

Da Redação – 27.03.2017 –

Segundo pesquisador do IPT, especialista em saneamento, tecnicamente há tecnologias para para “transformar a qualidade da água de toda e qualquer forma”

O engenheiro Luciano Zanella, pesquisador do Laboratório de Instalações Prediais e Saneamento do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT) avalia que há várias possibilidades técnicas para o tratamento das águas residuais, inclusive as originadas do tratamento de esgoto. O problema de aplica-las ou não é a viabilidade financeira. “Quanto mais radical a mudança, mais cara ela é, não só em termos de instalação, mas de operação e manutenção”, diz ele. Segundo Zanella, “para garantir a transformação de uma água residual em água potável, por exemplo, é necessário manter três ou quatro sistemas em operação, para aumentar a segurança e reduzir a probabilidade de falhas”, diz

O custo de tratamento explica, por exemplo, porque muitas indústrias fazer o próprio tratamento da água, usando-a para tarefas específicas como lavagens. Outra iniciativa é a compra de água de empresas com estações de reúso. “Além de ganharem em marketing ambiental, é mais barato do que comprar o mesmo volume de água potável”, argumenta o pesquisador. No caso de shopping centers, por outro lado, uso de esgotos tratados em concomitância com águas de chuva em descargas sanitárias é uma das medidas financeiramente rentáveis, na avaliação de Zanella. Em alguns condomínios residenciais, parte do esgoto, ou seja, geralmente aquele intitulado de águas cinzas, é tratado e utilizado para o mesmo fim.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *