Aeroportos paulistas saem das mãos do estado

Da Redação – 08.11.2017 –

Cinco deles, incluindo os de Campinas e Jundiaí, passam oficialmente para o consórcio Voa São Paulo, no processo de concessão de 30 anos

Primeiro, vamos com calma em relação aos dados. Não se trata nem de Congonhas, a joia da coroa, nem de Viracopos, que deve passar por um novo processo de licitação. Estamos falando de cinco operações do interior do estado que devem receber investimentos de R$ 93,6 milhões no período de concessão e que passaram a ser geridos pelo consórcio Voa São Paulo desde o primeiro dia de novembro. Com isso, sai de cena o Departamento Aeroviário do Estado de São Paulo (Daesp) que até então administrava os aeroportos.

Efetivamente para os bolsos do estado, nesse caso, foram encaminhados R$ 24,4 milhões, que é o valor da outorga, um montante 101% (ágio) a mais sobre o valor mínimo estipulado para a licitação. Agora, o Daesp se incumbe somente da fiscalização técnica e operacional dos aeroportos concedidos à Voa São Paulo, enquanto a Artesp, empresa estatal da área de transportes, cuidará dos aspectos econômicos e financeiros do contrato.

Em termos de investimento, o consórcio adiantou que pretende aplicar pelo menos R$ 33,6 milhões (dos 93,6 milhões) nos quatro primeiros anos de concessão. Ao longo do contrato, os investimentos devem ser aplicados da seguinte forma: R$ 15,8 milhões no Aeroporto de Itanhaém; R$ 20,5 milhões no de Jundiaí; R$ 10,5 milhões no de Bragança Paulista; R$ 18,2 milhões no de Ubatuba; e R$ 28,6 milhões no de Campinas.

Já está previsto em contrato, com indicação de investimento em cada aeroporto, que o pacote de melhorias contemplará os sistemas de pistas, pátios e sinalização, reformas nos terminais de passageiros, modernização de hangares e implantação de equipamentos de proteção ao voo.

Conheça os cinco aeroportos:

Bragança Paulista – Aeroporto Estadual Artur Siqueira: possui pista de 1.200 m, terminal de passageiros com 225 m², além de estacionamento para 76 veículos. Está localizado a 3 km do centro da cidade e atende demandas de voos executivos. Movimentou, em 2016, 28.370 passageiros e 30.050 aeronaves.

Campinas – Aeroporto Estadual Campo do Amarais: opera com aviação geral (executiva e táxi aéreo). Possui pista de 1.650 m, terminal de passageiros com 300 m² e estacionamento com capacidade para 50 veículos. Está localizado a 8 km do centro da cidade. Em 2016, foram registrados 31.772 passageiros e 34.851 aeronaves.

Itanhaém – Aeroporto Estadual Antônio Ribeiro Nogueira Jr: possui pista de 1.350 metros, terminal de passageiros com 1.500 m² e estacionamento para 60 veículos. Está localizado a 3 km do centro da cidade. Em 2016, recebeu 13.479 passageiros e 11.538 aeronaves.

Jundiaí – Aeroporto Estadual Comandante Rolim Adolfo Amaro: apresenta pista com 1.400 m, terminal de passageiros com 640 m² e estacionamento para 50 veículos. São 7 km de distância do centro de Jundiaí. As operações são de voos executivos, sendo que, em 2016, recebeu 10.863 passageiros e 57.989 aeronaves.

Ubatuba – Aeroporto Estadual Gastão Madeira: a pista do aeródromo possui 940 m, terminal de passageiros com 70 m² e estacionamento para 15 veículos. Recebeu 3.512 passageiros e 3.625 aeronaves em 2016.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *