Alta de 131% no gás motiva greve dos caminhoneiros, segundo a FUP

Redação – 29.01.2021 – 

A Federação Única dos Petroleiros (FUP) e seus sindicatos divulgaram nota ontem em apoio à greve dos caminhoneiros, gestada para a próxima segunda (01.02). O material evidencia a alta de 131% no preço do gás liquefeito de petróleo (GLP) nos últimos 4 anos, e compara com a variação do preço do barril de petróleo, cujo aumento foi de 15% no período. A inflação também somou 15% nos últimos quatro anos e essa diferença não é satisfatoriamente justificável para a FUP.

“O que encarece os preços dos combustíveis no Brasil é a política de reajuste que a Petrobrás vem adotando desde 2016, que se baseia no preço de paridade de importação (PPI), que tem o mercado internacional como um dos vetores. Isso mesmo sendo o Brasil autossuficiente na produção de petróleo e com as refinarias da Petrobrás capazes de fornecer quase a totalidade dos combustíveis de que o país precisa. O resultado disso é a aceleração dos reajustes de preços dos combustíveis no País, afetando diretamente as classes mais baixas, pelo efeito cascata gerado sobre a inflação de alimentos e outros gêneros de primeira necessidade”, diz Deyvid Bacelar, coordenador geral da FUP.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *