Anel viário de Criciúma ganha novo trecho

Da Redação – 27/01/2017 –

O terceiro trecho do contorno viário tem 6,8 quilômetros e a conclusão da obra aguarda uma revisão no traçado do último trecho, para reduzir custos de desapropriação.

Com investimentos de R$ 43 milhões, a Secretaria de Infraestrutura de Santa Catarina concluiu a implantação da terceira e penúltima etapa do anel de contorno viário de Criciúma, principal município da região Sul do Estado. O novo trecho, que tem 6,8 quilômetros de extensão, liga a rodovia SC-108, no Bairro São Simão, à SC-445, no Bairro Vila Zuleima, reduzindo o tráfego de veículos no centro da cidade.

Além de oferecer uma alternativa aos motoristas que antes precisavam passar pela região central da cidade, o anel viário de Criciúma foi projetado para eliminar o impacto do transporte de cargas de longa distância sobre seu tráfego, uma vez que ela fica na rota de ligação entre o Sul e o Sudeste do país. “Uma característica do município é que muitas rodovias estaduais desembocam diretamente no centro urbano, o que torna seu trânsito mais lento, principalmente nos horários de pico”, afirmou vice-governador Eduardo Pinho Moreira, durante a inauguração do novo trecho.

Interligado a outras obras – como a pavimentação da SC-446, que liga as cidades de Treviso a Lauro Muller – o anel viário ainda facilitará o acesso à Serra do Rio do Rastro. O secretário de Infraestrutura de Santa Catarina, Luiz Fernando Cardoso, classifica a obra como a segunda maior em investimentos no Sul do estado, sendo fundamental para o desenvolvimento econômico da região.

Mesmo assim, a última etapa do projeto, que ligará o bairro Vila Zuleima e o distrito de Rio Maina, deverá passar por uma revisão do projeto para redução de seus custos, antes da liberação para obras. “Trata-se de um projeto antigo, que apresenta custo muito elevado, pois somente em desapropriações seriam necessários quase R$ 60 milhões”, disse Cardoso. Para solucionar este problema, ele não descarta deslocar o eixo desse trecho da via para a área de domínio de uma ferrovia que margeia Criciúma.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *