Artesp usa tecnologias para melhorar controle da malha rodoviária concedida

Redação – 05.07.2019 –

A Agência de Transporte do Estado de São Paulo (Artesp) acredita que o investimento em tecnologia é das premissas para que o Programa de Concessões Rodoviárias do Estado de São Paulo se mantenha como referência no segmento de concessões rodoviárias. Segundo a Pesquisa CNT 2018, que avalia a malha rodoviária nacional, das 20 melhores rodovias do Brasil, 18 estão em São Paulo e integram o Programa, que é fiscalizado e gerenciado pela Artesp. Nesse sentido, o órgão estadual lista as principais tecnologias adotadas nos últimos anos para melhorar a experiencia do motorista e a gestão das estradas. Veja:

O CCI. Uma das principais ferramentas da Artesp no acompanhamento da malha concedida é o Centro de Controle de Informações (CCI). Centro de monitoramento criado em 2014, o CCI tem como objetivo tornar a fiscalização das rodovias mais rápida e eficiente, além de fornecer informações atualizadas e em tempo real sobre as condições da malha concedida. Para desempenhar essa função, o CCI é conectado hoje a mais de 1.200 câmeras, posicionadas estrategicamente nas rodovias concedidas, e trabalha 24h por dia, sete dias por semana. Além disso, o CCI possui tecnologias que permitem o monitoramento de call-boxes (telefones de emergência), praças de pedágio, centrais meteorológicas, tempo de atendimento de socorro mecânico e ambulâncias, entre outros indicadores de serviços previstos nos contratos de concessão. As informações também abastecem o programa “Artesp Informa”, plataf! orma de web rádio que divulga podcasts sobre a situação das estradas, possíveis ocorrências e outras informações do Programa de Concessões, na página de internet e no Twitter da Artesp. Já foram produzidos mais de 37 mil boletins desde 2015.

Pagamento Automático. A modernização do sistema de pagamento automático de pedágio é um exemplo do investimento em tecnologia do Programa de Concessões Rodoviárias. A partir de 2011, o Governo do Estado promoveu a abertura e modernização do sistema, com a mudança da tecnologia utilizada, de 5,8 Ghz para 915 Mhz, o que reduziu os custos e ampliou a concorrência no segmento, acabando com o monopólio no serviço. Atualmente, são cinco as operadoras de pedágio automático – Sem Parar, ConectCar, Move Mais, Veloe e Greenpass –, que oferecem mais de 20 planos, seja pós-pago ou pré-pago. Hoje, o sistema conta com mais de 4 milhões de tags ativas, e os pagamentos através das pistas de pedágio automático já representam 56,5% do total. Nos novos contratos de concessão (Entrevias e ViaPaulista), os usuários têm, ainda, desconto de 5% na tarifa quando utilizam o pagamento aut! omático.

Outra modalidade de pagamento que está começando a ser utilizada é a semiautomática, já implantada pelas concessões assinadas a partir de 2017, Entrevias e ViaPaulista. Por meio da tecnologia Near Fied Comunication, o sistema utiliza uma pulseira com chip magnético, que o usuário tem de aproximar de um leitor para realizar o pagamento, de modo seguro e mais rápido do que se tivesse de manusear dinheiro. No momento, a tecnologia é utilizada somente para motociclistas, todavia, o objetivo é expandir para outras categorias de veículos. Também há previsão de implantação da tecnologia nas praças de pedágio das demais concessionárias do programa a partir de 2020.

Ponto a ponto. Outra tecnologia relacionada ao pagamento de tarifa desenvolvida pela Artesp é o Sistema Ponto a Ponto, que permite ao motorista pagar tarifa proporcional ao trecho percorrido. O sistema foi implantado como projeto-piloto nas rodovias SP-360, SP-340, SP-332 e SP-075, e aprovado. No final de 2018, 170 mil usuários já estavam cadastrados no Ponto a Ponto. Nesse sistema, são instalados nas rodovias pórticos com antenas para captar sinais dos tags instalados nos veículos e, cada vez que o motorista passa por esses pontos, é realizada a cobrança automática referente ao trecho percorrido. Diferente dos contratos antigos, os novos preveem a possibilidade de implantação desse mecanismo, o que possibilitará a expansão do sistema, após a realização das devidas avaliações técnicas e operacionais.

Redes Wi-Fi. O atendimento ao usuário também está se modernizando. Nos novos contratos, é exigida do operador a instalação de redes de Wi-Fi nos trechos concedidos, com objetivo de substituir os call-boxes. Com o sistema, o usuário pode entrar em contato com o Centro de Operações da concessionária e, por exemplo, solicitar socorro, além de ter informações atualizadas das condições da rodovia. Atualmente, além da Entrevias (com 994 pontos de Wi-Fi) e da ViaPaulista (450), as concessionárias Tamoios (153) e a Ecopistas (53 pontos instalados nas pistas do Prolongamento da Carvalho Pinto) têm esse sistema implantado.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *