Artigo: Tecnologia de monitoramento contra o caos do trânsito

Por Andrei Junqueira (*) – 07.04.2016 –

As principais cidades do mundo estão descobrindo que o monitoramento de imagens em tempo real pode ser a resposta para os problemas de tráfego urbano nas regiões metropolitanas

Não é preciso muito para transformar o trânsito em caos. Basta um veículo mal estacionado, por exemplo. O tráfego nos grandes centros urbanos afeta os cidadãos de diferentes maneiras e evidencia a necessidade de mais controle sobre o que se passa nas ruas e avenidas da cidade, para que haja uma gestão inteligente das vias. A boa notícia é que, simultâneo ao aumento da concentração de veículos no mundo, avança também a tecnologia disponível para reduzir este impacto – como mostram algumas experiências pioneiras. 

 Imagens captadas por câmeras de videoviligância podem ser uma fonte de informação precisa, detalhada e em tempo real sobre a situação de rodovias, avenidas e ruas. Estes dispositivos permitem a gestão efetiva do trânsito e facilitam a agilidade na resposta dos órgãos responsáveis, evitando congestionamentos, reduzindo e prevenindo de acidentes. A modernização das operações tem se mostrado benéfica em diversas capitais onde foi adotada.

 No Brasil, algumas concessionárias que administram rodovias estão começando a adotar câmeras da Axis com inteligência para detectar a presença de pessoas ou animais na pista para reduzir acidentes, câmeras capazes de identificar veículos na contra-mão e câmeras capazes de detectar veículos parados na pista (o que pode indicar necessidade de assistência, por exemplo).

 Outras iniciativas estão trazendo impactos positivos à segurança dos motoristas e pedestres ao redor do mundo. No Chile, a Rodovia Maipo conecta Santiago com a região sul do país, e é a principal rota para a economia nacional. A concessionária da via adotou um sistema de câmeras da Axis Communications cuja atuação ajudou a diminuir em 40% a quantidade de acidentes, graças ao aprimoramento do serviço de emergência (preventivo e reativo) nos 237 km do caminho. Segundo o operador responsável pelo projeto, o sistema tem sido indispensável para atuar na manutenção da tranquilidade e qualidade do serviço para usuários e para a própria empresa também.

 Da mesma maneira, a autoridade de inspeção de trânsito da região de Sverdlovsk, na Rússia, implementou um sistema de videovigilância com câmeras HDTV da Axis em conjunto com funcionalidades analíticas que permitiram diminuir em 25% o número de acidentes e delitos  nas rodovias. O sistema age como um verdadeiro “inspetor virtual”, encarregado de monitorar e, principalmente, analisar o comportamento dos veículos, assim como a presença de elementos suspeitos. 

 Na Itália, a cidade de Pratto está utilizando de forma pioneira um sistema que une solução analítica em tempo real para planejar e melhorar o fluxo nas avenidas, túneis, pontes e estradas, obtendo informações como o número de veículos, tipo e velocidade média. O resultado foi a redução do tempo de translado e a prevenção de congestionamentos, além de possibilitar o acesso às imagens aos motoristas para que eles possam assistir ao vivo e escolher o melhor trajeto.

 O mesmo sistema foi utilizado na cidade norte-americana de Savannah, Georgia. As autoridades locais têm acesso às imagens em tempo real e com ferramenta analítica para ajudar a tomar decisões rápidas e pontuais na gestão das vias públicas de acordo com as necessidades que vão aparecendo ao longo do dia – acidentes, brigas, aumento do fluxo – principalmente em datas comemorativas e feriados, beneficiando motoristas e pedestres.

 Na Holanda, o modelo analítico é um aliado para zelar pela segurança e controle de tráfego do principal meio de transporte da cidade de Maastricht: as bicicletas. As autoridades desenvolveram um ambicioso plano para popularizar o uso das bikes ao invés dos automóveis. Para isso, desenvolveram um sistema de monitoramento centralizado de fibra ótica com câmeras Axis, complementadas por softwares cujo objetivo é analisar e facilitar o acesso à informação em tempo real sobre a situação dos estacionamentos disponíveis para bicicletas na Estação Central e no centro urbano da cidade.

 No futuro, as pessoas poderão chegar mais rápido ao trabalho e regressar para casa em viagens mais curtas e menos cansativas, reduzindo também a emissão de gases poluentes. Nesse cenário, serão gerados alertas a uma central de monitoramento ao menor sinal de problemas. A partir das câmeras e de softwares analíticos será possível identificar remotamente veículos roubados ou proibidos de circular desde o primeiro minuto após saírem da garagem, com possibilidade de acompanhar todo o trajeto de maneira automática e aplicar inteligência tática na recuperação ou apreensão do automóvel e seu condutor. 

 Estas são tecnologias que já existem e que em breve farão parte dos planos de segurança urbana no mundo todo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *