Automação industrial requer cabeamento robusto

Da Redação – 23/01/2017 –

Para suportar as agressões em um ambiente fabril, mantendo o desempenho no tráfego de dados, a rede deve adotar cabos e demais produtos com elevado grau de proteção.

Com o avanço da automação e do emprego de tecnologia da informação (TI) no chão de fábrica, um desafio se impôs na especificação da infraestrutura que deve suportar esse crescente tráfego de dados. Além da elevada performance, necessária ao bom funcionamento das máquinas, o cabeamento precisa ser protegido contra as adversidades de um ambiente fabril, como poeira, umidade, produtos químicos, altas temperaturas, vibração, impacto e interferências eletromagnéticas, entre outros.

Para isto, os fabricantes de cabos e demais materiais de redes desenvolvem produtos reforçados, cujos requisitos são estabelecidos pela nova norma ABNT 16521, publicada recentemente pela Associação Brasileira de Normas Técnicas, que trata de cabeamento estruturado para áreas industriais. “A instalação de cabos adequados a ambientes críticos permite eliminar problemas como oxidação, fadiga e vibração, que são causados por poeira, umidade e danos aos contatos, por exemplo, tornando a solução 100% confiável e segura”, diz Mariana Pauli Balan, engenheira de aplicações da Furukawa.

Entre outros diferenciais, os produtos têm índice de proteção até o grau IP67, o que significa que resistem à agressão provocada por poeira, jatos fortes de água e imersão temporária (até 30 minutos). Os cabos metálicos possuem capas com características destinadas a suportar aplicações em ambientes com alta abrasividade, elevadas temperaturas e presença de óleos e graxas, por exemplo, tornando-os aptos para instalação em siderúrgicas, refinarias, portos, mineradoras e linhas metroviárias, por exemplo.

Os componentes para redes ópticas, por sua vez, como distribuidores internos (DIOs), cordões IP67 e outros acessórios, assim como painéis de cordões blindados metálicos, garantem imunidade às interferências eletromagnéticas do ambiente. “Elas são causadas por máquinas industriais com fontes indutivas, lâmpadas fluorescentes ou fontes com elevadas tensões, podendo prejudicar a transmissão de dados sobre cabos de cobre”, destaca Mariana. Nesses casos, ela recomenda a opção por fibra óptica, que é imune à interferência eletromagnética, ou por produtos blindados e com uma instalação adequada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *