Chineses adotam solução de transporte público já testada em SP

Redação – 10.02.2021 –

Veículo Leve sobre Pneus, também conhecido como VLP, está sendo usado em Xangai, com novas tecnologias e pode ser uma solução para cidades brasileiras 

Mais de 25 anos depois de ser testado no Brasil, o uso de Veículo Leve sobre Pneus (VLP) entra em operação em Xangai na China. O sistema utiliza veículos elétricos – movidos a bateria – biarticulados e guiados por trilhos virtuais (Intelligent Digital-Rail Transport – iDRT). Com 30,5 metros de comprimento e capacidade para 302 passageiros, os ônibus deverão rodar a uma velocidade de até 70 km/h e a linha de demonstração terá nove estações, uma extensão de 21,7 km, adotando sensores sob o veículo como sistema de guiagem e navegação por pico magnético.

As informações são de Francisco Christovam, assessor especial do Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de Passageiros de São Paulo (SPUrbanuss) e membro da Federação das Empresas de Transportes de Passageiros do Estado de São Paulo (Fetpesp) e da Associação Nacional de Transportes Públicos (ANTP), entre outros. O especialista participou do sistema de VLP criado em São Paulo em 1996, mas destaca as diferenças num artigo publicado no site da ANTP.Para ele, a iniciativa chinesa pode pautar uma discussão sobre o uso do VLP no Brasil, agora com tecnologia renovada.

Christovam lembra que o modelo paulista de VLP foi criado pela São Paulo Transporte (SPTrans) e concebido como sistema de média capacidade, capaz de atender demandas de até 30 mil passageiros, por hora e por sentido, utilizando veículos biarticulados, movidos à tração elétrica e guiados. “Em síntese, tratava-se da junção de tecnologias bastante conhecidas e dominadas, ou seja, a operação de trólebus biarticulados e equipados com um moderno sistema de guiagem, com a função primordial de propiciar uma menor ocupação do espaço urbano com as pistas de rolamento, bem como de facilitar a condução dos veículos”, detalha.

Segundo ele, a experiência adquirida com a operação de ônibus biarticulados, em Curitiba, e com a operação de trólebus, em São Paulo, serviu de base para a especificação técnica do veículo a ser utilizado no novo sistema de transporte proposto. A novidade era o uso de veículos guiados. “O modelo adotado (sistema “O-Bahn”, desenvolvido pela Daimler-Benz) utilizava duas rodas horizontais, paralelas ao solo, fixadas logo à frente dos pneus dianteiros, que se inseriam em canaletas instaladas ao longo do trajeto. Nascia, assim, o Veículo Leve sobre Pneus – VLP”, relembra.

Para saber mais sobre a experiência brasileira, acesse o artigo completo de Christovam: http://www.antp.org.br/noticias/destaques/veiculo-leve-sobre-pneus-vlp-uma-visao-de-futuro-por-francisco-christovam-.html.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *