Cimento: LafargeHolcim quer reciclar 100 mi de toneladas de resíduos e subprodutos

Redação – 04.12.2020 –

Meta da empresa é usar a reciclagem para obter energia e matéria-prima, reduzindo sua emissão de gás carbônico nos próximos dez anos

A LafargeHolcim vai reduzir sua meta de emissão de CO2 no cimento, a nível global, para 475 kg de CO2 por tonelada de cimento produzido, ou seja, uma redução de 40% em relação à base de 1990. Para isso, a empresa pretende tomar várias iniciativas, incluindo a reciclagem de 100 milhões de toneladas de resíduos e subprodutos para obter energia e matéria-prima, aumento de uso de argila calcinada e o desenvolvimento de cimentos com novos ligantes. Além disso, a meta envolve dobrar o uso de combustíveis derivados de resíduos na produção de cimento, chegando a uma taxa de substituição de 37%.

No Brasil, uma das iniciativas da companhia para redução das emissões de CO2 é o coprocessamento feito pela Geocycle – divisão do Grupo que transforma resíduos industriais e urbanos, que não podem ser reciclados, em matéria prima e combustível alternativos utilizado nos fornos. Este ano, a Geocycle iniciou uma parceria com a Associação de Catadores de Pedro Leopoldo (Ascapel), em Minas Gerais, para fazer a destinação final, por meio do coprocessamento, do rejeito gerado a gestão do rejeito gerado após separação do material reciclável.

“Antes da parceria, os rejeitos não recicláveis eram enviados para o aterro sanitário, gerando para a prefeitura custos de transporte e disposição desse material. Assim, contribuímos ainda mais para o desenvolvimento sustentável, eliminando os resíduos que seriam enviados aos aterros sanitários. Nossa meta é ampliar a parceria da Geocycle com associações de outros municípios do país”, explica Nelson Vianna, gerente Geral da Geocycle no Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *