Como a Vivo está transformando seus 5,6 mil carros em uma ecofrota

Redação – 28.10.2019 –

Operadora investe em compensação da emissão de gás carbônico, veículos movidos a etanol, carros elétricos e ainda no compartilhamento entre os departamentos

A Vivo tem uma frota de 5,6 mil veículos, dos quais 60% são movidos a etanol e três deles são carros elétricos. Nesse último caso é parece pouco – e é pouco – mas a iniciativa faz parte de um plano maior para transformar a frota convencional numa ecofrota. Como não dá pra fazer isso somente com o uso do biocombustível, a operadora resolveu tornar-se carbono neutra comprando créditos de duas operações sustentáveis no Nordeste e no Norte do país, fechando uma estratégia que ainda inclui o compartilhamento de carros entre seus departamentos.

Vamos começar pela compra de créditos de carbono: metade do que torna a frota da Vivo carbono neutro são oriundos da implantação e operação do Complexo Ventos do Araripe III, constituído por 14 novas instalações de geração de energia eólica na divisa entre o Piauí e Pernambuco. Outra parte é compensada em iniciativa de preservação da floresta Amazônica no Pará, por meio do manejo responsável e manutenção da biodiversidade.

O uso compartilhado de veículos teve início em julho deste ano. Cada área não é mais a dona do carro, que fica compartilhado em um sistema de agendamento e pode ser disponibilizado para outros departamentos. De acordo com a Vivo, um veículo que rodava 500 quilômetros/mês hoje roda 1.500, garantindo a otimização da frota e a redução no número de veículos alugados. A adoção dos carros compartilhados já está em uso em São Paulo, Santo André, Osasco, Guarulhos, Curitiba e Campo Grande e deve chegar ao Rio de Janeiro e Recife já nos próximos meses.

Os carros elétricos, agora, vieram para fechar o circuito sustentável.  A ação da Vivo ainda é pequena, considerando que o teste envolve três carros, com uma autonomia de 300 km (bateria) e circulando inicialmente na Grande São Paulo, mas tem futuro. A partir do ano que vem, a expectativa é expandir o processo para outros locais. Os carros estão sendo recarregados em eletropostos disponíveis por meio de uma parceria com a AES Tietê, entre as maiores companhias de geração de energia do país e uma plataforma integrada de soluções energéticas sustentáveis. Apenas com a implementação destes três veículos elétricos, a Vivo avalia que deixará de emitir quatro toneladas de CO2 por ano.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *