Concessão de rodovias em SP entra em nova fase

Da redação – 27.09.2016 –

Consulta pública será encerrada hoje. Próxima etapa – ainda sem prazo definido – será a publicação do edital. Investimentos somariam R$ 4,6 bilhões ao longo de 30 anos e envolvem 747 km de estradas no estado. 

A licitação internacional do Lote Rodovias dos Calçados em São Paulo entrou em nova fase hoje, com o encerramento da consulta pública. As sugestões poderão ser incorporadas ao edital, cuja data de publicação ainda não foi definida. O que se tem no radar são as indicações de que o valor do pedágio deverá ficar cerca de 20% menor do que é praticado atualmente no estado. Quem pagar com sistema eletrônico terá direito a mais 5% de desconto.

O lote, que compreende 747 km de extensão, também deverá se destacar pelas inovações tecnológicas, incluindo rede Wi-Fi ao longo dos trechos, o que permitirá a troca de informações entre os usuários e a concessionária. Isso significa o uso de SMS e de serviços como WhatsApp para envio de relatórios sobre condições da estrada, incidentes na pista e tráfego, entre outros.

Com a rede Wi-Fi, a concessionária ganhadora também deixa de instalar os call boxes nas pistas. Além das sociais, a empresa que ganhar o processo deverá manter o serviço de informações via painéis e uma infraestrutura de imagens com circuito fechado de TV. As câmeras deverão possuir mecanismos de análise inteligente de vídeo (IVA), facilitando a identificação e edição de imagens. Outra novidade é a pesagem dos caminhões em movimento e a adoção de ciclovias nas áreas urbanas das rodovias que fazem parte do lote.

A concessão deverá incorporar também uma revisão a cada quatro anos. A meta é atender às demandas dos municípios cortados pelas pistas a serem concedidas. Por esse mecanismo de atualização, os investimentos poderão ser antecipados, cancelados ou ainda estabelecidos novos deles, incluindo duplicações, implantação ou remodelação de acessos. A previsão é que a concessão totalize R$ 4,6 bilhões em investimentos no prazo de 30 anos, dos quais R$ 2,9 bilhões estariam ligados à restauração das pistas e R$ 920 milhões para a ampliação da principal mala do lote.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *