Consórcio ibero-coreano desbanca Oracle na Sabesp

Por Nelson Valêncio – 24.07.2017 –

A aliança entre a sul-coreana TmaxSoft e a espanhola NalbaTech resultou na adoção do banco de dados Tibero pela companhia paulista. Depois de ganhar a licitação em janeiro do ano passado, concorrendo com a tradicional Oracle, o consórcio comemora o amadurecimento do processo na Sabesp. Nessa entrevista, o brasileiro Francisco Bernabeu, presidente da NalbaTech, explica os detalhes da ativação da nova tecnologia que completou um ano e que envolve a contratação de licenças dos softwares Tibero Enterprise Edition 6.0 e Tibero Active Cluster (TAC).

InfraROI – Você poderia explicar o papel de cada empresa no contrato da Sabesp?

Francisco Bernabeu (FB): A NabalTech é uma multinacional espanhola criada em 2010 e provedora de soluções de tecnologia da informação. Uma das metas estabelecidas pela empresa é a busca de soluções mais aderentes ao cenário de crise econômica. A aproximação com a TmaxSoft aconteceu nesse sentido e vislumbrou uma forma de concorrer com grandes players do setor como a Oracle e Microsoft. O caso da Sabesp se enquadrou nisso: a concessionária usava o banco de dados da Oracle, mas já não tinha o suporte técnico para a versão que usava. O Tibero, banco de dados da TmaxSoft poderia atender essa migração, mantendo o legado e sem impactar no código fonte. Em resumo, seria um processo viável tecnicamente e bem mais atrativo financeiramente.

InfraROI – Para ficar mais claro: qual é a importância do banco de dados da concessionária?

FB: Ele é o depositário de várias informações importantes, incluindo os dois sistemas de bilhetagem (billing) da empresa. Estamos falando de milhões de usuários, inclusive corporativos, e da necessidade de processar muitas informações críticas. Quando a companhia lançou a licitação em 2016 ela tinha definido que precisava sair da encruzilhada na qual estava. Uma vez vencida a licitação, começamos a estabelecer como o processo, desde a etapa de desenvolvimento até a evolução para a fase de homologação. Caso a Sabesp validasse a tecnologia, haveria a possibilidade de expansão para ampliar a adoção do Tibero, inclusive para ambiente de produção de cluster de alta disponibilidade, ou seja, que envolve, por exemplo, dois servidores rodando em paralelo, sendo um suporte do outro.

InfraROI – Vocês já tinham um relacionamento anterior com a companhia?

FB: Tivemos uma única interação anterior à licitação, na forma de apresentação técnica e percebemos que o problema da transição já existia, assim como o desejo de mudança da equipe da Sabesp. Quando o processo licitatório foi iniciado, verificamos que a nossa proposta foi a vencedora com uma diferença de 50% em relação à proposição da Oracle, que era o administrador de banco de dados (DBA) até então usado. É um contrato inovador, visto que temos uma grande experiência – as duas empresas – na área privada.

InfraROI – Então, o que podemos destacar como desafios do contrato da Sabesp?

FB: A grandiosidade do projeto. Não tínhamos medo de que funcionasse porque houve um forte suporte da TmaxSoft junto à nossa equipe, inclusive funcionando 24 x 7 e em português. Do nosso lado, a NalbaTech fez todas as certificações necessárias da equipe. E mais interessante: a operação do Tibero é muito similar aos sistemas da Oracle. O Tibero é multiprocesso e multicrédito, ou seja, é possível ter vários acessos simultaneamente, o que o torna mais rápido que o Oracle 8.0, que seria a versão adotada caso a empresa tivesse vencido a licitação.  O relacionamento afinado com a equipe de TI da Sabesp foi definidor: mostramos como as aplicações eram similares – a nova e a do legado – o que deu muita segurança ao cliente.

InfraROI – Tecnicamente, como foi o dia D da migração?

FB: A Nalbatech realizou a migração total dos dados para o Tibero em apenas 1h30, sem riscos ou grandes alterações nos códigos e com o os sistemas funcionando com total desempenho. Etapas que levavam duas horas para processar informações de clientes passaram a ser realizadas em minutos. E temos a possibilidade de evolução do sistema, com suporte técnico, o que já não havia no antigo sistema.

InfraROI – Como é o formato de licenciamento?

FB: Um destaque é a possibilidade de virtualização simplificada e acessível, outro objetivo da equipe Sabesp. A solução permite licenciamento de ambiente virtual sem a necessidade de licenciamento para ambiente físico, o que proporciona uma redução de custos, uma vez que não é preciso investir em hardware e novas licenças. Esse é um diferencial da TmaxSoft comparado com as outras opções existentes no mercado. Em suma, a adoção do Tibero traz benefícios como suporte à manutenção do ambiente proposto, modernização do atual, aumento de disponibilidade, compatibilidade do banco de dados com a aplicação e implementação da ferramenta para monitoramento, entre outros.

InfraROI – O contrato com a Sabesp abre espaço para o mercado de concessionárias de serviços públicos. Qual é a avaliação de vocês a respeito?

FB: Sim, é um case especial. Veja bem que esperamos um ano desde a implantação para termos a certeza a respeito dos problemas técnicos que poderiam aparecer no radar. Nossa visão de clientes potenciais inclui outras concessionárias, mas é mais amplo: vai desde empresas que utilizam banco de dados livres até as que compram licenças. O nosso modelo de licenciamento faz toda a diferença, pois consegue-se licenciar somente o que for necessário. Em muitos casos, o ganho de licenças é de 6 x 1 em relação aos concorrentes.

InfraROI – Qual é a estrutura de suporte montada para atender a Sabesp e outras empresas?

FB: A TmaxSoft está sediada em Barueri, na Grande São Paulo, onde tem sua estrutura comercial e de pré-venda. No caso do suporte técnico foi contratada uma companhia em Curitiba, com atendimento em português. Essa estruturação reduz a resistência de muitos diretores de TI e abre o espaço para mostrarmos que temos uma ferramenta competitiva. Em muitos casos, vamos ter a possibilidade de criar uma migração sem sobressaltos e com grande compatibilidade, pois os sistemas são parecidos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *