Desemprego na construção civil chega a 10,5% no interior de SP

Da Redação – 02.12.2016 –

Nas regiões metropolitanas de Campinas, Piracicaba e Limeira a taxa de desemprego já chegou a 10,5% segundo o SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo).

Entre os setores mais afetados estão o imobiliário (-16,81%), serviços de engenharia (11,69%), infraestrutura (-9,49%) e preparação de terreno (-8,95%). Em menor escala, outros serviços (-6,96%), obras de acabamento (-6,50%), obras de instalação (-5,22%) e incorporações de imóveis (-0,02%) também sofreram baixa. Atualmente, a região oferece 76,2 mil postos de trabalho na construção civil, que representam mais de 10% do setor em todo o estado de São Paulo.

Os números também estimam que o estado de São Paulo irá sofrer uma queda de 11,6% na evolução do emprego na construção civil. A expectativa é que o setor caia mais do que em 2015, quando atingiu -7,1%. No Brasil, o estoque de emprego deve chegar a -14,5%, enquanto no ano passado registrou -10,1%.

Desemprego em outubro
A construção civil na cidade de Campinas registrou uma redução de 1,43% no nível de emprego em outubro na comparação com setembro, com fechamento de 279 postos de trabalho na cidade. O saldo de trabalhadores foi de 19.529 para 19.250. No acumulado do ano, a redução chega a 11,71%, ou seja, – 2.721 vagas.

Este é o 6º mês consecutivo de queda de vagas de emprego em Campinas. Apesar disso, em outubro a queda foi mais acentuada em relação aos meses passados. Em setembro a queda havia sido de 1,46% e em agosto foi de 2,03.
Na região, a maior queda ficou com Piracicaba (-2,3%). Em outubro, a cidade perdeu 149 vagas. Em contrapartida, Paulínia foi a que mais subiu (4,23%) com um acréscimo de 47 vagas em outubro.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *