Empilhadeira promete amenizar custos com alta do combustível

Da Redação – 31.01.2018 –

Desde julho de 2017, o valor do gás liquefeito de petróleo (GLP) teve sete reajustes, que elevaram o seu preço em 40%. O impacto desse insumo – que é o mais caro na escala operacional das empilhadeiras – é direto. E é com esse apelo que a distribuidora de equipamentos Somov anuncia o lançamento de duas empilhadeiras que prometem reduzir em até 25% o consumo.

Os modelos, Hyster XT e Yale MX, são fabricadas com módulos de injeção eletrônica e motor PSI 2.4L, que possui dois modos de operação (ECO e HiP – High Performance) e contam com transmissões inteligentes que proporcionam a redução no consumo de GLP. “Isso foi comprovado em testes realizados no Brasil e nos Estados Unidos”, diz Joaquim Costa, gerente comercial da Somov.

Com capacidade para movimentar até três toneladas, as versões XT e MX dispõem de sistema de estabilidade patenteado, o Continuois Stability System, para maior articulação do eixo de direção em superfícies irregulares. Isso, garante da distribuidora, minimiza a inclinação do equipamento e gera maior estabilidade lateral.

As empilhadeiras também são equipadas com eixos de tração para trabalhos pesados. “Normalmente, os equipamentos a combustão são utilizadas em ambientes externos. Porém, os modelos Hyter-Yale são preparados para utilização nas mais diversas situações operacionais, ou seja, desde ambientes mais agressivos e que requerem alta produtividade, até locais sujeitos a altos níveis de dispersão de partículas ou que exijam os limites operacionais da mesma”, diz Costa.

O painel de instrumento de ambas conta com um display LCD monocromático, que exibe os status do equipamento. Ele fica instalado na coluna de direção, para facilitar a visualização.

As empilhadeiras ainda vêm com sistema hidráulico com filtragem interna, para evitar contaminação e garantir maior tempo de vida útil aos componentes, e coluna de direção ajustável, além de configurações personalizadas como controles de velocidade e sistemas de telemetria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *