Engenharia brasileira exporta know how off road

Da Redação – 10.10.2018

Centro de competência da ZF concentra expertise em eixos off road da multinacional em Sorocaba (SP)

O poder da agroindústria brasileira acaba de resultar em mais um ponto para o país. Sorocaba, no interior de São Paulo, passa a ser um centro global de competência na área de eixos agrícolas. Em função de sua aplicação fora de estrada (off road), esse tipo de componente também é adotado em equipamentos móveis da chamada linha amarela, caso de escavadeiras hidráulicas. O novo centro de competência será responsável por coordenar o desenvolvimento de eixos para todos os mercados mundiais atendidos pela ZF.

O DNA da engenharia brasileira nessa área é consistente. Na opinião de Victor Rosales, atual gerente sênior da área desenvolvimento da divisão off road da ZF na China, a experiência adquirida em campo e aplicação final do produto no Brasil, permitem reduzir tempo e custos de desenvolvimento de produtos globais. Ele explica que o mercado chinês é similar ao mercado brasileiro em vários aspectos de aplicação de produto, como por exemplo em regiões de plantação de arroz em áreas alagadas. Na busca por energias alternativas, a China está investindo também em etanol e muitas plantações de cana-de-açúcar estão aparecendo no sul do país.

De Sorocaba para o mundo, eixos fora de estrada tem destaque no mercado de tratores

E mais: o know how brasileiro para cálculo de performance de esterçamento de eixos, por exemplo, já está inserido na biblioteca de ferramentas de desenvolvimento de produtos que a multinacional usa no mundo todo utilização dos centros de engenharia na Alemanha e Brasil. “As competências do time de Sorocaba sempre foram o benchmark e a referência que devemos buscar para o time na China”, completa Rosales.

O último exemplo bem-sucedido de desenvolvimento foi o recente lançamento do Eixo TSA23 destinado ao setor agrícola, que obteve grande receptividade do mercado, com design e aplicação desenvolvidos integralmente pela engenharia de produto no Brasil com suporte das demais áreas da empresa, mas principalmente em linha com a necessidade do cliente final e das montadoras.

Outros destaques das últimas três décadas são a criação das carcaças modulares que trouxeram maior eficiência na sua manutenção, com número reduzido de ferramentas. Além disso, a ZF trabalhou na redução de peso do equipamento, com aumento da robustez. “Historicamente, toda a inteligência e expertise da ZF no desenvolvimento de eixos trouxe avanços ao ponto de permitir que novos tratores pudessem ser fabricados no Brasil”, diz a empresa em comunicado oficial.

No ano passado a ZF celebrou a marca de 500 mil eixos produzidos em sua fábrica de Sorocaba (SP). A produção foi iniciada em 1985, ano em que a média mensal de produção alcançada foi de 148 equipamentos. O recorde em um único mês aconteceu em outubro de 2016, quando Sorocaba fabricou 3.290 eixos.  O maior volume de produção anual foi em 2010 com 30.243 equipamentos fabricados ao longo de 12 meses. Os eixos APL da ZF lançados em 1985, por exemplo, possibilitaram a produção local de máquinas agrícolas de maior potência e revolucionaram a produtividade dos tratores rurais brasileiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *