Estudo identifica fraudes em operadoras de telecomunicações

Da Redação – 26.02.2018 –

Realizado pela WeDo Technologies, levantamento ouviu empresas da região da Ásia e Pacífico

Especializada em garantia de receita, ou seja, em fazer com que todos os potenciais ganhos financeiros efetivamente aconteçam, e na gestão de fraude, a portuguesa WeDo Technologies mostrou aos seus clientes da Ásia e Pacífico quem são os bicho papões digitais mais recentes. O evento reuniu mais de 100 usuários globais – profissionais de operadoras envolvidos com gestão de riscos – em Kuala Lumpur, na Malásia. E a pergunta é: quais são os pesadelos atuais do setor de telecomunicações?

Respondendo: em resumo a transformação digital. Mais detalhadamente, o aumento de conteúdo de vídeo e de dispositivos móveis e as novas redes e serviços, incluindo o 5G, Internet das Coisas (IoT) e a virtualização das funções de redes (NFV). Juntas ou separadas, elas abrem a porta para novas ameaças, com as quais as provedoras de comunicações precisam lidar urgentemente e reduzi-las. Para a WeDo, outro sinal vermelho é o fato de que os fraudadores estão acelerando o passo na busca de novas maneiras de fraudar as operadoras de telecomunicações. E o cenário piora conforme bilhões de dispositivos de IoT e enormes quantidades de dados comecem a trafegar por suas redes.

“Sistemas legados de gestão de fraudes não terão a escala ou a sofisticação necessária para detectar tendências anormais e identificar atividades de fraude potenciais na era do 5G”, argumenta Bernardo Galvão Lucas, estrategista chefe e diretor de marketing da WeDo. De acordo com ele, as tecnologias de inteligência artificial (IA) e aprendizado de máquina serão a pedra fundamental para habilitar as operadoras a detectar fraudes mais rapidamente e com maior eficiência, assim como identificar e visar riscos mais complexos.

Além dos recursos de inteligência artificial e aprendizado de máquina, a WeDo também explicou como os sistemas baseados na nuvem podem acelerar a modernização de uma solução de gestão de fraudes da operadora. A plataforma da empresa, o Raid.Cloud, teria “várias aplicações avançadas de detecção, fornecendo definição de perfil digital, experiência do consumidor e analítica de garantia de serviços terceirizados em massa”, na avaliação da companhia portuguesa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *