Hidrovias do Brasil compra empresa paraguaia e expande atuação no Corredor Sul

Redação – 20.04.2021 – 

Empresa compra as operações sul-americanas da e adiciona 7 empurradores troncais e 84 barcaças à operação da Companhia na hidrovia Paraguai-Paraná

A Hidrovias do Brasil (HBSA) anunciou a aquisição das operações da Imperial Logistics na América do Sul, com sede em Assunção, no Paraguai e com atuação na hidrovia Paraguai-Paraná. A aquisição faz parte da estratégia de fortalecimento da presença da Companhia nesse importante corredor logístico, agregando 7 empurradores troncais e 84 barcaças para o transporte de minério e grãos. A operação inclui ainda a concessão do Porto Baden, em Concepción (Paraguai), que será administrado em modelo de joint-venture com a CIE, companhia do segmento de infraestrutura.

Fabio Schettino, CEO da Hidrovias do Brasil, reforça que essa aquisição é mais uma sinalização da importância do sistema Sul para a Companhia. “Essa aquisição nos traz uma flexibilidade operacional muito importante. Todas as embarcações adquiridas são de baixo calado, ou seja, nos permitem complementar nossa capacidade de navegação e atuar em regiões onde atualmente não acessamos”, explica o executivo.

A Hidrovias do Brasil opera no Corredor Sul desde 2012 e tem capacidade anual para transportar aproximadamente 3,25 milhões de toneladas de minério de ferro, 1,6 milhão de toneladas de grãos e fertilizantes pela hidrovia Paraguai-Paraná, além de 1,2 milhão de toneladas de celulose pelo rio Uruguai. Além disso, opera um terminal especializado em cargas sólidas a granel dentro do porto público de Montevidéu, no Uruguai, denominado Terminal de Granéis de Montevidéu (TGM), com capacidade de carga operacional de aproximadamente 2 milhões de toneladas e capacidade estática de 120 mil toneladas.

As operações do Corredor Sul geraram receita operacional de R﹩ 484,2 milhões, representando 42% do EBITDA ajustado da companhia em 2020. “Nosso objetivo é aumentar o volume de produtos transportados na região, ampliar a carteira de clientes atual, expandir as rotas de atuação e ser cada vez mais eficientes operacionalmente” afirma Ivanir Mayer, Diretor Geral da Operação Sul.

Do outro lado do país, no Corredor Logístico Norte (Miritituba-Barcarena, Pará), a empresa oferece uma alternativa logística para o transporte e escoamento de grãos da região Centro-Oeste do Brasil, além da operação de cabotagem para transporte de minérios. Para estas operações, foram investidos R﹩ 2,2 bilhões na região, que tem capacidade de movimentar até 6,5 milhões de toneladas de grãos por ano.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *