Indústria de materiais de construção aposta em melhoria no segundo semestre

Redação – 29.06.2020 –

Apesar da pandemia, pesquisa de opinião da associação do setor revela relativo otimismo do setor para os próximos meses

As vendas de materiais de construção estão descoladas, aparentemente, da retração da economia com a Covid-19. Pelo menos na avaliação da Associação Brasileira da Indústria de Materiais de Construção (Abramat) divulgada na última sexta-feira (26/6). De acordo com a a nova edição do seu Termômetro, 34% das empresas associadas classifica o desempenho nas vendas em maio como bom ou muito bom. Já em junho essa mesma expectativa subiu para 44% das empresas, enquanto 43% vislumbram período regular. Para o próximo mês (julho), a expectativa de ter vendas com desempenho bom ou muito bom permanece em 44%.

Quando perguntadas sobre as expectativas sobre ações governamentais, as muitas medidas propostas pela indústria e já adotadas começam a causar efeito positivo na percepção das empresas. Neste mês de junho 26% das empresas estão otimistas com as ações para os próximos 12 meses. No mês anterior 13% estavam otimistas.

Outro dado importante e positivo apontado na pesquisa é que, apesar dos impactos da crise, a pretensão de investimentos no médio prazo subiu de 43%, em maio, para 52% em junho. O nível de utilização da capacidade instalada registrado foi de 64% em junho, no mês anterior a capacidade instalada estava em 53%.

“Notamos que apesar das dificuldades impostas pela pandemia, o setor começa a enxergar a possibilidade de retomada nos próximos meses. Essa perspectiva muito se dá devido à aceitação das propostas feitas ao governo e sua implementação, além dos esforços de todos visando a saúde e a queda no número de infectados pela Covid-19”, revela Rodrigo Navarro, presidente da Abramat. Segundo ele, a reabertura do comércio e demais serviços, além da continuidade de obras, tudo isso com os devidos cuidados, também podem contribuir para que a indústria de materiais de construção amplie seu nível de utilização de capacidade instalada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *