A influência da geração Millennial para o futuro dos negócios

Por Adriana Oliveira* – 27.02.2018 – , gerente de RH do Mercado Eletrônico

Adriana Oliveira

Eles têm entre 21 e 27 anos, são extremamente conectados, procuram empregos que atendam aos seus propósitos de vida e não compram nada sem antes pesquisarem pela internet. A geração millennial – que a depender da definição, engloba as gerações Y e Z – está dando o que falar. E não é para menos: esses jovens ajudam a moldar uma nova relação com o mundo e, por conta disso, estão na mira das empresas que querem se antecipar na criação de negócios para o futuro.

Um estudo produzido pela Harris Insights & Analytics e divulgado pela Mastercard na América Latina, analisou a relação dos millennials com a tecnologia, formas de pagamento e hábitos de consumo de jovens radicados no Brasil, Colômbia e México.

O relatório “A mente e bolso do millennial” aponta que 81% dos jovens nascidos entre 1990 e 1996 buscam por empregos que acrescentem socialmente. Além disso, 96% deles usam WhatsApp, enquanto 92% usam também o Facebook. O levantamento indica, ainda, que 74% dos jovens brasileiros fazem pesquisas para reunir informações antes de comprar um produto.

Em outro levantamento, feito pela U.S. News & World Report, foi mostrado que jovens desta geração são três vezes mais propensos a falar sobre uma marca ou produto nas redes sociais e dez vezes mais inclinados a escrever sobre isso em blogs. Essa conduta fez com que as empresas começassem a interagir com seus consumidores de uma forma inédita.

Entender o comportamento desses jovens capazes de assimilar como ninguém a tecnologia moderna é a chave para criar produtos e serviços que atendam aos seus desejos. Os millennials têm ajudado as outras gerações a cultivar a paciência e refletir para que os objetivos de todos sejam alcançados. Eles estão inovando e ajudando a transpor o desafio de interagir em um ambiente corporativo formado por diversas gerações.

Perceber as expectativas dessa geração é a melhor forma para compreender como será o nosso futuro, já que em 2025, essa categoria representará 75% da força de trabalho. Ou seja: eles serão os funcionários, colaboradores e CEOs do amanhã.

Destaco aqui, algumas características dessa geração que ditam tendências dentro e fora das empresas:

Automação de processos – Para esse público, ações que antes levavam dias para serem realizadas, agora são feitas em poucos cliques. E a tecnologia é uma aliada para tornar seus processos mais eficientes: foram os millennials, em particular, os responsáveis ​​por aumentar as taxas de adoção de software de automação, já que eles buscam o máximo de eficiência e de colaboração. Eles descobriram que práticas feitas manualmente criam um ambiente para falhas, enquanto a maioria dos sistemas automatizados é conduzida por funções e algoritmos, trazendo ganhos significativos e resultados assertivos.

Inteligência artificial – O fato de praticamente terem nascido com um celular nas mãos fez com que esses jovens adotassem a inteligência artificial com naturalidade. Ao usar essa tecnologia como uma espécie de assistente, os jovens rastreiam suas atividades, exercícios físicos, controlam sua conta bancária, dão nota para os serviços que usam, entre milhares de outras atividades que demandavam muito tempo das gerações anteriores. Embora a automação simplifique, e muito, a rotina desses jovens, a geração Y também acredita na humanização dos serviços e eles ainda precisam do toque humano de uma interação pessoal para estabelecer uma relação de confiança com as empresas que eles se relacionam – Um dos motivos pelos quais o conceito de Customer Success está tão em alta.

Mudanças no ambiente de trabalho –A flexibilidade e a capacidade de trabalhar remotamente são vantagens que os trabalhadores mais jovens valorizam e são características que os atraem para as empresas. Com a internet, dispositivos de mensagens instantâneas e plataformas colaborativas de criação, os millennials estão preferindo as vagas de trabalho com horário flexível e possibilidade de home office – muitos nem trabalham na mesma cidade ou no mesmo país da empresa para a qual prestam serviços.

Tecnologia personalizada – Qualquer trabalhador munido de um computador costuma ser bombardeado por notificações, e-mails, propagandas e convites. Mas a geração do milênio sabe como direcionar essa enorme quantidade de informação, que chega diariamente, de maneira personalizada.

Eles são ótimos em criar e personalizar aplicativos, configurações de privacidade e canais de mídia social para otimizar o fluxo de trabalho, como eles se comunicam com os outros e até as ferramentas que usam para trabalhar.

Jovens pesquisadores – Com 74% dos millennials mais propensos a comparar preços de produtos e serviços antes de comprá-los, o efeito para a economia é profundo. Essa busca pelo melhor valor acontece na internet e, na maioria das vezes, é feita em um smartphone.

Por conta desse comportamento, muitos varejistas estão migrando para plataformas digitais e até para marketplaces específicos voltados para o mercado B2B. Até mesmo quem conta com lojas online também tem buscado recursos digitais para impulsionar suas vendas e tornar seus produtos mais visíveis ao público.

Não restam dúvidas de que os jovens continuarão a pressionar a sociedade por mais automação, e por uma boa razão: a capacidade de melhorar as atividades comerciais para a conquista de novas possibilidades no mercado de trabalho. Para as outras gerações, resta o desafio de se adaptar a trabalhar com eles, se ajustando aos seus hábitos e incorporando o melhor que eles podem oferecer.

Por Adriana Oliveira, gerente de RH do Mercado Eletrônico

About the Author

Related Posts

Deixe uma resposta

*

Este post foi visto 64747 vez(es).