Investimento do governo em obra rodoviária é 31% menor do que o aplicado só em manutenção em 2010

Redação – 04.02.2020 –

O levantamento Conjuntura do Transporte, divulgado ontem pela Confederação Nacional do Transporte, aponta que os investimentos em infraestrutura de transporte no Brasil estão caindo anualmente, reduzindo a capacidade competitiva do país e sua produção. Como solução, a entidade sugere aceleração de planos de concessão e recuperação da capacidade do governo federal de investir, mesmo com o entrave do Teto dos Gastos.

Um dos destaques do documento é que em 2020 o total investido pelo Governo Federal em rodovias foi de R$ 6,74 bilhões. O valor (com inflação descontada) é 31,7% menor do que o que se investia apenas em manutenção de rodovias em 2010 (R$ 9,87 bilhões).

“A retomada dos investimentos públicos e privados em infraestrutura de transporte é fundamental para alavancar o crescimento econômico nesse momento de crise. Ganhos em eficiência logística promovem todos os setores produtivos. Além disso, obras voltadas ao transporte são muito intensivas no uso de mão de obra, reduzem o desemprego e fortalecem a economia local”, diz Vander Costa, presidente da CNT.

A CNT divide a infraestrutura rodoviária brasileira em duas realidades. Uma é a da malha rodoviária gerida com recursos públicos. Em 2020, esse aporte caiu 2,3% em relação a 2019. A outra realidade é a malha concessionada, que, segundo a CNT, também experimenta situação complexa, com parte das concessionárias enfrentando dificuldades relacionadas à queda de demanda e a problemas de modelagem. Em decorrência desse quadro, os investimentos das concessionárias de rodovias em 2019 cairam 17,4% em relação a 2018. O total investido pelas concessionárias de rodovias em 2019 foi R$ 5,47 bilhões, o menor valor da última década.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *