Las Vegas terá complexo inteligente de 7,5 bilhões de dólares

Redação – 09.08.2019 –

Projeto é encabeçado pela Cisco e vai criar uma mini cidade dentro da capital do jogo

Um empreendimento de US$ 7,5 bilhões e que vai adotar tecnologias avançadas de conectividade, automação e analytics e que vai criar uma mini cidade dentro de Las Vegas. Esse é, em resumo, o Bleutech Park, projeto que está sendo liderado pela Cisco e com prazo estimado de seis anos de construção. De acordo com reportagem do site Enterprise IoT Insights, o projeto terá recursos que parecem “pura ficção científica” na avaliação da Cisco.

O empreendimento é uma iniciativa do Bleutech Park Properties, de Delaware, um fundo de investimento imobiliário apoiado por investidores institucionais e de private equity. Embora a Cisco tenha sido escolhida para lidar com os aspectos tecnológicos do projeto e da construção, a parte física de erguer o complexo do chão é da construtora norte-americana Martin-Harris Construction.

O novo local abrigará residências, escritórios, espaços comerciais, imóveis residenciais de luxo, hotéis e instalações de entretenimento. Durante a construção, o projeto terá uso intensivo de internet das coisas (IoT), inteligência artificial (IA), realidade aumentada, drones e robótica, de acordo com seus desenvolvedores. E muitos desses recursos devem fazer parte do empreendimento depois de construído.

Outra frente de inovações inclui fontes de energia solar, eólica, hídrica e cinética, operando  independentemente da rede elétrica local. Todos os edifícios terão consumo líquido de energia zero. O vidro fotovoltaico será padrão em todas as estruturas, de modo que exteriores de edifícios inteiros operam como painéis solares.

Os sistemas de pavimentação capturarão e reutilizarão a energia do movimento humano em todo o parque, inclusive nas áreas comuns e estruturas de estacionamento. Recursos para aquecimento, refrigeração, iluminação e eletricidade serão colhidos no local. Enquanto isso, os prédios estarão conectados a uma rede de “super árvores”, proporcionando uma redução de 95% na água importada e melhorando a biodiversidade.

A automação estará no topo da agenda da fase de construção. Os sistemas aéreos não tripulados serão usados ​​para acessar “lugares difíceis de alcançar ou inseguros”, afirmou. A robótica ajudará na segurança no local, durante a construção e após a abertura. “O aumento da digitalização e da robótica na construção aumentará a produtividade e a eficiência”, explica Bertrand Dano, diretor de tecnologia e informação da Bleutech Park Properties.

De acordo com o comunicado de imprensa, os “edifícios inteligentes, equipados com materiais novos, auto-regenerativos, geradores de energia e respiráveis, levarão Las Vegas adiante de maneira nunca antes contemplada ou experimentada em um só lugar. Com o uso de sistemas aéreos não tripulados e IA, o canteiro de obras se tornará um projeto vivo e respirável. A integração se tornará perfeita com a tecnologia, mais eficiente, efetiva e segura”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *