Maior hospital público de Roraima passa a ter usina de produção de oxigênio

Redação – 23.03.2021 –

Iniciativa conjunta do BNDES e do Grupo Enerva permitiram ativação da unidade que vai atender outros hospitais do estado

O estado de Roraima terá a primeira usina de produção de oxigênio instalada em hospital. O empreendimento de infraestrutura social vai atender até 30 leitos de UTI no Hospital Geral de Roraima (HGR), a maior unidade de saúde pública da capital Boa Vista. O tem capacidade de produção de 30 metros cúbicos por hora e foi viabilizado pela doação conjunta do BNDES e da Eneva, empresa integrada de energia, que responde por 9% da capacidade de geração térmica do Brasil. A doação total, de R$ 1,6 milhão, também inclui cilindros de oxigênio, dos quais 30 já foram entregues.

De acordo com o BNDES, além de atender ao HGR, a usina poderá fornecer oxigênio a outros hospitais da rede estadual. A operação também permitirá a liberação de cilindros para outras unidades de saúde, nos municípios do entorno de Boa Vista. O hospital está com 71 % dos leitos de UTI dedicados à Covid-19 ocupados, segundo o boletim epidemiológico da Secretaria de Estado de Saúde de Roraima (dados de 18 de março).

A iniciativa faz parte do programa Salvando Vidas, lançado em abril de 2020, numa parceria entre o Banco, a Sitawi Finanças do Bem, a Confederação das Santas Casas de Misericórdia (CMB) e a Bionexo. Ele se tornou o maior matchfunding no Brasil, arrecadando, até o mês de fevereiro, R$ 81,3 milhões em doações, por meio da plataforma de crowdfunding da Benfeitoria. Isto foi possível graças aos mais de 1.700 doadores, entre pessoas físicas, empresas e o BNDES. Foram beneficiados mais de 600 instituições filantrópicas e hospitais públicos que atendem o SUS, com 44 milhões de EPIs, em mais de 460 municípios de todas as regiões do País.

O BNDES decidiu iniciar uma segunda etapa do programa Salvando Vidas, para apoiar as demandas emergenciais dos hospitais do País, como aquisições de EPIs e oxigênio – cilindros e usinas. Desta vez, porém, são aceitas somente doações de pessoas jurídicas de, no mínimo, R$ 100 mil. O Banco continuará dobrando o valor doado com recursos próprios.

Já o parceiro do projeto no HGR, a Eneva, está construindo, em Boa Vista, a Usina Termelétrica Jaguatirica II, que vai gerar 117 MW de energia elétrica a partir do gás natural proveniente do campo de Azulão, no Amazonas. A energia gerada vai atender cerca de 70% do consumo de todo o Estado, substituindo a atual geração a diesel, com consequente redução de emissões e de custos de geração.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *