Maior produtora de cobre refinado do Brasil reestrutura suas dívidas

Redação – 30.12.2020 –

Mineradora avança no processo de negociação com seus credores

A Paranapanema (PMA) firmou um acordo com o Scotiabank Brasil que viabiliza o reingresso da instituição financeira ao grupo dos credores e, assim, abre espaço para o avanço das negociações para reestruturação da dívida da companhia.

Com a assinatura do documento chancelado pela matriz no Canadá, o banco canadense cancela os protestos existentes e desiste do pedido de falência – cujos efeitos negativos haviam sido suspensos por determinação judicial – contra a fabricante de cobre, retomando uma agenda conjunta de tratativas, ao lado dos demais nove principais credores, para o reperfilamento e o equacionamento do passivo atual da PMA, em torno de US$ 510 milhões.

“A retomada das negociações, ainda dentro deste ano, foi possível graças ao empenho de nossos conselheiros, acionistas e dos próprios credores. Estamos trabalhando em uma proposta que atenda a todos os credores”, afirma Luiz Aguiar, diretor-presidente da Paranapanema.

De acordo com ele, as negociações das dívidas da companhia com seus principais credores financeiros prosseguem. Para isso, neste processo, a maior produtora brasileira não-integrada de cobre refinado, vergalhões, fios trefilados, laminados, barras, tubos, conexões e suas ligas, também tem recebido o apoio de seus principais acionistas. Recentemente, o Grupo Buritipar, um de seus acionistas de referência, ofereceu o lock-up de sua participação acionária na empresa, no contexto do seguimento das referidas negociações.

“O avanço nas negociações fortalece e amplia a competitividade da companhia, o que é bom para o Brasil e para os mais de 7.000 colaboradores diretos e indiretos da Paranapanema”, finaliza João Araújo, Chairman do Grupo Buritipar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *