Marketplace de energia solar amplia opção de financiamento

Redação – 21.12.2020 –

A proposta do marketplace Portal Solar é que o financiamento para implantação de energia solar fotovoltaica gere parcelas mensais mais baratas que a conta de luz. Essa é a perspectiva para a maioria (70%) do território nacional, segundo a empresa, que lançou recentemente uma nova opção de financiamento, chamada “Meu Financiamento Solar”.

A linha de crédito é do Banco Votorantim e operada pelo Portal Solar, e já conta com 2,5 mil empresas do setor, além dos 30 maiores distribuidores de equipamentos no País, como clientes em outras modalidades de financiamento. “O crescimento do volume de financiamento contratado no Portal Solar deu início ao processo de spinoff das operações de crédito por parte das duas empresas, que lançaram em setembro de 2020 uma plataforma completamente independente para financiar projetos de geração solar distribuída em residências, comércios, indústrias e propriedades rurais”, informa o marketplace.

O “Meu Financiamento Solar” é digital e focado tanto nos consumidores finais, instaladores, integradores e distribuidores de equipamentos. A plataforma já é a maior fintech do setor e mostra a aposta das duas empresas no crescimento do mercado de energia solar distribuída no Brasil, hoje com mais de 4 gigawatts instalados e cerca de R$ 19 bilhões em investimentos privados acumulados desde 2012. A tecnologia fotovoltaica em telhados e pequenos terrenos atende atualmente a mais de 410 mil unidades consumidoras.

“Nossa projeção, com a nova plataforma, é triplicar o volume de projetos financiados no próximo ano e atender também de forma exclusiva os profissionais do setor e seus clientes”, diz Rodolfo Meyer, CEO do Portal Solar. “Atualmente, registramos por mês cerca de 7,5 mil solicitações de financiamento, com meses em que esses pedidos chegam a atingir R$ 500 milhões em solicitação de crédito para compra de equipamentos de energia solar”, acrescenta.

As mudanças no crédito também ampliam o prazo de carência para o pagamento da primeira parcela de 90 para 120 dias, justamente para dar tempo ao usuário obter as primeiras economias na conta de luz antes de receber o carnê do financiamento, já que o tempo médio para adquirir um sistema fotovoltaico, despachar, instalar e homologar na distribuidora de energia é de três meses.

Pelos cálculos do Portal Solar, o alongamento do prazo possibilita que a parcela do financiamento seja menor do que o valor mensal gasto na conta de luz em cerca de 70% do território brasileiro, permitindo a sobra de recursos para os consumidores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *