MDR busca ferramentas para reduzir impacto ambiental na construção de moradias

Redação – 07.07.2021 – Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) vem debatendo com representantes do setor de construção civil ferramentas que permitam obras mais sustentáveis

O Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR) trabalha na produção de ferramentas que possibilitem construir moradias mais sustentáveis e com menor impacto ambiental. Para isso, a Pasta criou um Grupo de Trabalho (GT) com representantes do setor de construção civil. Desde maio deste ano, os participantes vêm debatendo o tema e buscando soluções que possam integrar o Plano Nacional de Habitação (PNH) e serem aplicados nos projetos habitacionais do Programa Casa Verde e Amarela, do Governo Federal.

O GT atua com foco em três eixos principais: materiais sustentáveis, eficiência energética e eficiência hídrica. Segundo a secretaria executiva do Comitê Nacional de Desenvolvimento Tecnológico da Habitação (CTECH), dois projetos com foco em uso e desperdício de materiais têm avançado. Um deles é o Sistema de Informação do Desempenho Ambiental da Construção (Sidac), focado no cálculo de emissão de carbono de geração de energia desde a extração dos materiais de construção. O segundo é o Pegada Hídrica, desenvolvido para calcular quanto de água é gasto desde a extração dos materiais até o final da construção da edificação.

Pegada Hídrica envolve uso de água em toda a cadeia de construção 

Segundo o Ministério, a existência de um sistema de informação do desempenho ambiental da construção é capaz de revelar os impactos ambientais associados aos materiais e orientar especificações e compras mais assertivas, baseada em indicadores. O Sidac disponibilizará uma base de dados de indicadores e interfaces de submissão de dados e consulta dos indicadores de materiais, que poderão ser agregados em sistemas construtivos e prediais, inclusive permitindo a avaliação do desempenho ambiental de edifícios. Na etapa inicial, estão sendo tratados os indicadores de consumo de energia e os de emissão de gás carbônico, associados aos materiais nas fases de extração de recursos e extração.

Virgínia Sodré, diretora técnica da Infinitytech, empresa de consultoria com foco de atuação em águas, explica como a Pegada Hídrica também pode contribuir na redução do desperdício de água, auxiliando o MDR em construções mais sustentáveis. De acordo com ela, a Pegada Hídrica é uma plataforma de cálculo de uso da água, cuja metodologia indica não apenas o seu uso direto por um consumidor ou produtor, mas, também, seu uso indireto.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *