Mercado do aço comemora resultados de 2020

Redação – 08.01.2021 – 

Apesar da pandemia, setor obteve resultados semelhantes aos de 2019 e prevê crescimento em 2021.

Em novembro, quase 70% da capacidade instalada para produção de aço no Brasil estava ativa. Em abril, dado a pandemia, esse índice era de 45% e motivou o desespero do setor, que visualizava fechamento de fábricas e quebra de empresas. A reversão positiva do cenário ocorreu ao longo dos últimos meses e, para se ter ideia, o índice de ocupação da capacidade instalada em novembro foi maior do que o de janeiro de 2020, pré-pandemia.

Em relação a todo o ano de 2019, as vendas internas de aço devem consolidar crescimento de 0,5% em 2020, atingindo 18,9 milhões de toneladas. Faltam os dados de dezembro. O consumo aparente deve fechar com queda de apenas 1%, devendo atingir 20,8 milhões de toneladas. Os dados preliminares (até novembro) são do Instituto Aço Brasil, que comemora os resultados e prevê aquecimento de mercado em 2021.

O Indicador de Confiança da Indústria do Aço (ICIA) está elevado, embora tenha havido redução de 4,1 pontos (ficando em 78,9) em dezembro. Segundo o Instituto Aço Brasil, esse é o terceiro maior patamar desde quando começou a medição, em abril de 2019. “A expectativa do setor é de que em 2021 as vendas internas aumentem 5,3% e o consumo aparente de produtos siderúrgicos 5,8% em comparação com 2020”, diz Marco Polo de Mello Lopes, presidente executivo do Instituto Aço Brasil

Segundo ele, a boa expectativa tem base no aumento de consumo de aço na construção civil, nas obras de infraestrutura e uma maior participação da indústria nacional no setor de óleo e gás e energia renovável.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *