Oi usou sistema de vigilância da Huawei no carnaval do Rio desse ano

Redação – 14.05.2019 

Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro coordenou projeto piloto de monitoramento e identificação facial, por meio da solução Cidades Seguras, desenvolvida pela parceria entre a operadora e a fabricante chinesa

A segurança é um dos maiores desafios para os gestores brasileiros e há uma razão para isso. Segundo o Monitor da Violência, foram registrados 51.589 assassinatos e mais de 300 mil crimes em 2018 envolvendo casos de roubos ou sequestros no país. A boa notícia é que a tecnologia tem sido uma importante ferramenta no combate à violência por meio de soluções que realizam fiscalização e monitoramento de alta precisão, identificando casos e indivíduos suspeitos.

Ituassu, da Oi: operadora cedeu infraestrutura óptica e de rede sem fio 4,5G para o projeto

Um exemplo é o carnaval de rua na cidade do Rio de Janeiro que, nesse ano, foi monitorado por meio de vídeos de vigilância com recursos de analytics. O projeto, uma parceria entre a operadora de telecomunicação Oi com a Secretaria de Segurança Pública do Estado do Rio de Janeiro, durou 15 dias e envolveu a região de Copacabana. Em termos de infraestrutura, a iniciativa envolveu a ativação de 29 câmeras para o monitoramento urbano com software inteligente interligado com o sistema da Polícia Civil e do Detran-RJ.

O projeto envolveu o serviço de reconhecimento facial e leitura de placas de veículos, além da comunicação com o centro de monitoramento da Secretaria de Segurança, por meio de conectividade, sistema de despacho, armazenamento de imagens em Cloud, gerenciamento da solução e analytics. Com equipamentos de última geração de monitoramento e vídeo da Huawei, a solução tinha como objetivo localizar pessoas e veículos suspeitos, além de identificar padrões de comportamento e situações de risco nos locais monitorados.

Videomonitoramento complementa recursos de inteligência da polícia

“A Oi entrou como a empresa responsável pelo acerto comercial com o governo estadual e a Huawei com a estruturação e expertise tecnológica para o desenvolvimento da solução”, explica André Ituassu, diretor de Engenharia da Oi. Já os dados coletados ficaram armazenados dentro do ambiente da Secretaria de Segurança Pública do Rio de Janeiro. A operação das plataformas também foi de coordenação exclusiva do órgão público. Já a comunicação digital ficou sob a tutela da Oi, que ofereceu sua infraestrutura de rede em fibra óptica, além da malha sem fio de 4,5G.

Na avaliação das empresas envolvidas, o projeto pode ampliar a segurança pública nas cidades e o carnaval foi apenas um teste – na prática – para os gestores públicos envolvidos com o tema. No entanto, a solução não substitui a polícia: ela é um complemento aos recursos de inteligência da PM, que passam a utilizar os dados adquiridos para otimizar os serviços e garantir uma redução no tempo de execução das tarefas.

A estruturação e localização de instalação dos equipamentos foram desenvolvidos pelos parceiros Oi e Huawei com base na inteligência da Polícia Militar do Rio de Janeiro, que definiu o posicionamento e georreferenciamento das câmeras nas ruas de Copacabana. Ao todo, 3 milhões de pessoas tiveram reconhecimento único pela solução, sendo que 8 mil foram identificadas pelo sistema.

China tem 170 milhões de câmeras instaladas no país

Além do sistema de vigilância inteligente, a Oi também tem investido no desenvolvimento de soluções para cidades inteligentes, como é o caso de sistemas de fiscalização eletrônica para o monitoramento e gestão de equipes de campo, monitoramento eletrônico de mobilidade, sistema de saúde, meio ambiente, zoonoses e vigilância sanitária. São projetos realizados com parcerias entre desenvolvedores e fabricantes, incluindo a Huawei, responsável pelo sistema de monitoramento também na cidade de Búzios (RJ).

A solução de cidade segura da Huawei utilizada no projeto incluiu as funções de captura de vídeo HD, transmissão de rede com e sem fio, armazenamento em nuvem integrado e análise de Big Data inteligente. Como diferencial, a arquitetura aberta da Huawei é compatível com vários fornecedores, o que oferece aplicativos empresariais inteligentes e convenientes.

Na China, existem cerca de 170 milhões de câmeras espalhadas no país, instaladas com software de inteligência artificial em desenvolvimento e comunicação remota de alta definição. Hoje, as soluções de vigilância por vídeo e cidade segura da Huawei são usadas em mais de 100 países e regiões que buscam criar um ambiente mais seguro para mais de um bilhão de pessoas, proporcionando uma otimização nos serviços públicos focados em cidades inteligentes e seguras.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *