Paraíba aplica US$ 207,2 mi em projetos hídricos

Redação – 10.12.2020 –

Empréstimos do Banco Mundial serão destinados à execução do Projeto de Segurança Hídrica do Estado da Paraíba (PSH-PB), junto com aporte do governo local

O governo paraibano recebeu US$ 127 milhões em financiamento do Banco Mundial para aplicar no seu Projeto de Segurança Hídrica, iniciativa que vai receber ainda outros US$ 80,2 milhões do próprio governo estadual como contrapartida. No total serão US$ 207,2 milhões aplicados no projeto.

O escopo do projeto inclui melhoria de qualidade de água do estado, especialmente as regiões do Cariri e Curimataú, que irão receber água por meio do Sistema Adutor Transparaíba. Os investimentos contemplam ainda a reestruturação da Companhia de Água e Esgotos da Paraíba (Cagepa) e da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), bem como o reordenamento do esgoto de João Pessoa, ampliando a capacidade de tratamento da Cagepa na Capital.

O secretário de Estado da Infraestrutura, dos Recursos Hídricos e do Meio Ambiente, Deusdete Queiroga, afirmou que o contrato de empréstimo com o Banco Mundial é fundamental para garantir a segurança hídrica aos paraibanos. “Os recursos vão financiar todo o ramal do Cariri da adutora Transparaíba, beneficiando toda a região e também irá melhorar a eficiência operacional da Cagepa na Grande João Pessoa, com a construção de um novo sistema de tratamento de esgoto que vai beneficiar os municípios envolvidos pelos próximos 30 anos”, explicou.

Na Região Metropolitana de João Pessoa, o destaque é a reorganização do transporte do esgoto, principalmente nas duas elevatórias, e ampliação do sistema de tratamento do Roger e também teremos investimentos em Bayeux e Cabedelo. A Cogepa, por sua vez, será reorganizada e modernizada em toda a sua estrutura funcional, passando pela reavaliação tarifária, organizacional, plano de cargos e salários.

Na Aesa as mudanças incluem ações na gestão de recursos hídricos, com a otimização e monitoramento com plataformas automáticas, tanto nos reservatórios, quanto nos rios, e no monitoramento hidrológico e climatológico. Outras grandes ações importantes são a atualização do plano estadual da bacia do Rio Paraíba e estudos das águas subterrâneas, como também o monitoramento de quantidade e qualidade e o estudo do aproveitamento das águas do São Francisco.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *