Pesquisa mostra perfil de consumo digital do brasileiro que trabalha em casa  

Redação – 14.05.2021 –

Levantamento global da Amdocs pode pautar ações das operadoras de telecom e a oferta de novos serviços

A Amdocs saiu a campo para ouvir o cliente de seus clientes. Aliás, parte deles, uma vez que oferece soluções e serviços não só para o setor de telecomunicações e mídia. Indo direto ao tema: ela pesquisou usuários corporativos que estão em casa por causa da pandemia e traçou um perfil do consumo digital deles antes e depois da pandemia. Dos dez países avaliados, o Brasil e o México foram os dois únicos na América Latina, o que permite a comparação do nosso padrão com o dos mexicanos, tentando entender as tendências regionais, e como o brasileiro se diferencia.

Intitulado The Rise of the new enterprise consumer, cuja tradução é A ascenção do novo consumidor corporativo, o levantamento indica que os usuários latino americanos dobraram as horas gastas na internet, um incremento 50% maior do que o verificado em nível global. Ou seja, demanda mais banda. As compras e o upgrade de serviços de conteúdo também foram maior entre os mexicanos e os brasileiros do que outros consumidores corporativos do mundo. E mais: quem trabalha em casa nos dois países está mais preocupado com questões como segurança e nuvem em relação ao comportamento global.

Falando mais especificamente sobre Brasil, a pesquisa identificou que o uso de serviços financeiros aumentou acima da média, inclusive dos serviços de educação e saúde. Com relação à própria internet, o maior medo, sem dúvida, é a perda de conexão. No caso dos mexicanos, a preocupação afeta 58% dos entrevistados e o Brasil mantém a média global de 50%. A perda de informações é a segunda preocupação mais citada e, nesse caso, estamos acima da média global (25% dos entrevistados citaram), com quase um terço (28%) destacando a questão. Os ciberataques também estão na agenda dos brasileiros, que seguem a média dos outros países – 19% citaram.

Uma informação óbvia deve acender ainda mais a luz de atenção das operadoras brasileiras: para esse novo consumidor corporativo o tempo diário gasto na internet passou para quase 7 horas, um incremento de 3 horas. No mundo todo houve crescimento de demanda, mas por aqui são pelo menos 3 horas a mais todos os dias.

A pesquisa da Amdocs ouviu 300 profissionais que trabalham em casa no Brasil, com idade acima de 25 anos em dezembro do ano passado. O levantamento foi realizado por uma plataforma digital.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *