PIB da construção melhora no trimestre, mas ainda é negativo neste ano

Redação – 02.09.2019 –

De acordo com a última pesquisa do IBGE, divulgada na quinta-feira 29.08, o PIB (Produto Interno Bruto) da construção civil cresceu 1,9% no segundo trimestre de 2019 na comparação com o primeiro trimestre. Comparado com o mesmo período do ano anterior, o crescimento foi de 2% e essa é a primeira elevação após 20 quedas consecutivas da atividade nesta base de comparação. O crescimento, contudo, não foi suficiente para gerar número positivo no semestre, que apresentou queda de 0,1 em relação ao primeiro semestre de 2018.

“Essa alta do PIB da construção ainda está longe de representar uma recuperação das construtoras. A elevação de 1,9% ocorreu devido ao aumento dos financiamentos imobiliários e do crescimento das vendas dos materiais de construção, mas a atividade das construtoras segue em patamares muito reduzidos”, diz Odair Senra, presidente do SindusCon-SP (Sindicato da Construção). Para ele, “há necessidade de mais estímulos para aumentar a atividade das construtoras e atrair investimentos, tais como o andamento das reformas, desburocratização, agilização dos licenciamentos e preservação dos recursos do FGTS para o financiamento da habitação popular”.

Na área de serviços, as atividades imobiliárias cresceram 0,7% no segundo trimestre, na comparação com o primeiro, e 2,7%% em relação ao mesmo período de 2018.

Crescimento da indústria
No segundo trimestre, o PIB do país cresceu 0,4% em relação ao trimestre anterior, e 1% em relação ao segundo trimestre de 2018. Na comparação dos quatro trimestres terminados em junho com o mesmo período anterior, houve aumento de 1%.

No segundo trimestre, o aumento de 1,9% do PIB da construção contribuiu para o crescimento de 0,7% do PIB da indústria.

A Formação Bruta de Capital Fixo cresceu 3,2% em relação ao trimestre anterior, 5,2% na comparação com o mesmo período do ano passado e 4,3% no acumulado dos quatro trimestres terminados em junho, comparados aos quatro trimestres imediatamente anteriores.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *