Prédios viram “usinas solares”

Da Redação – 20.04.2018 –

Hikari Building no Japão adota a tecnologia de vidro fotovoltaico

Inédito no país, o vidro fotovoltaico pode entrar na construção civil como mais um recurso de sustentabilidade. Para não ficar apenas no conceito, a Alclean, uma das responsáveis em por trazer o modelo para o Brasil, dá as métricas de retorno de investimento (ROI) da tecnologia: 5 anos, considerando a diferença média de R$ 300 entre o novo tipo de vidro e o tradicional. Basicamente, o fotovoltaico tem uma película fotovoltaica cuja missão é capturar os fótons emitidos pelo sol. Em resumo, a energia captada pode ser armazenada e para geração de luz.

Segundo a Alclean, o produto pode fazer parte da iniciativa de crédito que estimula as instalações de energia renováveis no Brasil, inclusive dos R$ 3,2 bilhões recém sinalizados pelo Governo Federal. Outro aspecto da película é que ela substitui as fachadas similares mas apenas decorativas, as chamadas pele de vidro. Com a nova tecnologia, as fachadas desse tipo passam também a ser funcionais, gerando luz para os prédios.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *