Provedores regionais serão 50% do faturamento da Raisecom até final do ano

Redação – 13.05.2019 –

Fabricante chinesa estruturou seus negócios na área, com ofertas que incluem GPON e DWDM

Cachapuz: oferta de produtos carrier class com precificação diferenciada para provedores

Focada em soluções de acesso IP, principalmente na borda da rede, a chinesa Raisecom entrou definitivamente no mercado de provedores regionais. Ela pretende replicar a venda de suas quatro grandes linhas de produtos no novo segmento – GPON. DWDW, switches para telecomunicações e switches industriais – e ter metade do faturamento oriundo do universo dos provedores. A informação é de Márcio Cachapuz, diretor da companhia, que explica que o novo segmento começou a ser estudado seriamente no final de 2017 e foi estruturado ao longo do ano passado.

Segundo ele, as redes passivas ópticas em gigabit (GPON) é a primeira porta de entrada e foi o foco da companhia no atendimento de grandes operadoras nos primeiros três anos da fabricante no país, ao lado dos switches. “Temos um DNA para trabalhar com as operadoras tier 1 e tier 2, então resolvemos criar uma cultura para trabalhar também com os provedores regionais”, adianta Cachapuz. A estratégia inclui um parceiro de canais específico, a OIW, e politicas de comunicação que privilegiam as redes sociais.

Outro parceiro, a distribuidora Aristec vai focar em família de switches gerenciáveis que melhoram a gestão de performance e de portfolio dos provedores,  além da linha de sistemas DWDM, que são capazes de maximizar a capacidade de tráfego das fibras ópticas já instaladas, reduzindo a exigência de novos investimentos na expansão da estrutura de fibras.

“Temos um grupo ativo de provedores de até 3 mil empresas e estamos surpresos com a aceitação de nossos produtos, mesmo com a característica carrier class do portfólio e com a precificação atraente, entre 10% e 15% abaixo do estabelecido para o mercado”, resume Cachapuz. Além do GPON, ele lista os switches de camada 2 e a plataforma de DWDM metro como carros chefe para os provedores com mais de 10 mil assinantes, que é a priorização da Raisecom.

“O mercado vai se consolidar mais daqui a dois ou três anos e não haverá espaço para quem não tiver redes boas e uniformes, bem estruturadas. O DWDW é uma opção para provedores que tem acima de 50 mil assinantes e que precisam entregar serviços mais robustos na ponta, incluindo TV”, argumenta o diretor da Raisecom. De acordo com ele, ainda há um cenário muito diversificado, inclusive com improvisação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *