Quatro casos de uso de IoT e seis tendências para um futuro ainda mais conectado

Redação – 08.09.2021 – Especialista em automação destaca como Internet das Coisas tem sido utilizada e o potencial de evolução da tecnologia 

Não é de hoje que a Internet das Coisas (IoT) tem revolucionado a forma com que lidamos com a tecnologia. Aliada à nuvem, inteligência artificial e entre outras tecnologias, a IoT já faz parte das nossas vidas e não apenas em casos de uso industriais. Como bem lembra Johan Steyn, consultor especialista em automação e IA, a IoT também em smartphones, smartwatches e qualquer outro dispositivo vestível (wearable) que podemos carregar. 

Quatro casos de uso de IoT

O especialista traça casos de uso de Internet das Coisas que já são utilizados em quatro áreas diferentes. Confira: 

  • Consumer IoT: As casas já podem ser automatizadas e mais inteligentes, combinando segurança, gerenciamento de energia e conveniência. Dentro de lares assim, há diferentes itens conectados, desde lâmpadas inteligentes, sistemas de ar condicionado e até camas. Aliado a essas “coisas”, também há os wearables, capturando dados do usuário e os interligando à casa. 
  • Commercial IoT: Dispositivos de telemetria já ajudam empresas de transporte a melhorar a gestão de frota há algum tempo. Já no setor da saúde, a IoT aumenta o conhecimento dos médicos sobre a saúde do paciente e os ajuda a tratar e prevenir doenças. Steyn afirma que, em qualquer lugar que se olhe, sensores são instalados para capturar dados e prover mais informação para conectar empresas a consumidores. 
  • Infrastructure IoT: As cidades estão ficando mais inteligentes e conectadas com os cidadãos e os veículos. Os serviços públicos, como a distribuição de energia, se tornam mais efetivos e confiáveis, “emulando estações de energia inteligentes conectadas a redes inteligentes conectadas a medidores inteligentes em nossas casas inteligentes que contêm nossos dispositivos inteligentes”, como destaca Steyn. 
  • Industrial IoT: As indústrias utilizam a Internet das Coisas para produzir produtos melhores e reduzir custos. O setor de óleo e gás, por exemplo, utiliza sensores para extrair, processar e distribuir seus produtos de forma mais efetiva. Já as mineradoras estão expandindo a produção e a segurança com equipamentos autônomos que pode ser operados 24 horas por dia. Na agricultura, aprendizado de máquina é usado para aumentar a produção a partir dos dados de sensores. 

Mais inteligência no futuro

Além do que já é utilizado atualmente nos setores mais avançados, o especialista em automação acredita que a tecnologia vai evoluir ainda mais. Steyn traça seis tendências para a Internet das Coisas: 

  • Explosão de dispositivos: Em 2016, mais de 4,7 bilhões de objetos estavam conectados à Internet. Já em 2021, a expectativa é que esse número suba para 11,6 bilhões e, até 2025, deve ultrapassar os mais de 21 bilhões de dispositivos IoT. 
  • Mais cidades se tornarão “inteligentes”: O uso de IoT deve aumentar nas cidades para economizar tempo e dinheiro. Cidades se tornarão mais autônomas, controladas remotamente e passarão a coletar dados em quiosques para visitantes, sistemas de videomonitoramento, estações de aluguéis de bicicletas, entre outros. 
  • Inteligência artificial vai aumentar capacidade de IoT: Termostatos, sistemas de iluminação, home speakers e até cafeteiras vão coletar informações de preferência de seus usuários e usá-las como dados de tendência. Quando alguém controlar um dispositivo por voz, estará dando permissão para isso ser gravado e salvo na nuvem. Na maioria das vezes, Steyn diz que os dados coletados serão usados para aumentar o aprendizado de máquina. 
  • Mais inteligência e segurança nos sensores: A maioria dos dispositivos IoT para consumidor são vulneráveis no quesito de segurança e não podem ser protegidos por softwares antivírus, por exemplo. Os fabricantes estão trabalhando para lançar ao mercado dispositivos mais seguros assim que possível, segundo o especialista. A prioridade no momento é para dispositivos de saúde. 
  • 5G: A rede 5G vai trazer mais velocidade e menor latência para os dispositivos se conectarem entre si, oferecendo mais capacidades à IoT. Com conexão mais rápida, será possível capturar, analisar e gerenciar os dados com mais eficiência. 
  • Regulamentação: A proliferação de dispositivos IoT será uma das razões para o aumento de problemas de segurança e privacidade, afirma Steyn. Legislações de privacidade devem começar a abordar a Internet das Coisas. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *