Racional Engenharia entrega – em 14 meses – o novo terminal de passageiros do aeroporto de Florianópolis

Redação – 03.10.2019 –

Inaugurado nessa terça, a instalação é quatro vezes maior do que o anterior. Experiência da construtora inclui terminal em Confins, na capital mineira

As obras do novo terminal de passageiros do aeroporto internacional de Florianópolis começaram em abril e envolveram inovações. A dona do empreendimento, a concessionária Zurich Airport AG, exigiu um prazo relativamente curto e o modelo de contrato design & build, ou seja, a Racional deveria realizar o projeto executivo e a execução em si. A seu favor a Racional já adotava esse modelo em vários tipos de obras, mas não ainda em infraestrutura. A experiência de 2017, no aeroporto de Confins, em Minas Gerais, também contou pontos, embora não tenha sido feita no modelo de design & build.

“A Racional se colocou desde o início como braço de engenharia e construção da Floripa Airport, aportando inteligência de engenharia desde a fase de projetos até a entrega do Aeroporto em operação”, argumenta Erika Matsumoto, vice-presidente de Desenvolvimento de Negócios da construtora. Segundo ela, a fase de pré-construção foi iniciada antes mesmo do leilão do aeroporto, ou seja, não se tinha certeza se a concessionária de fato ganharia o contrato. O resultado é que, entre os aeroportos concedidos em 2017, o de Florianópolis foi o primeiro a ter novas obras ativadas.

Na avaliação da executiva, a Racional não teria conseguido a ‘antecipação’ se não fosse o modelo de contrato de projetar e construir, na tradução literal para design & build. Sendo o design-builder do projeto, a construtora avalia que a contratação trouxe “ganhos significativos de qualidade para o empreendimento, dando mais velocidade às obras e também garantiu o cumprimento do orçamento do projeto e do prazo estabelecido”. A maior de governança e a maior transparência foram outros dois ganhos do processo.

O novo terminal tem 49 mil metros quadrados e é quatro vezes maior que o anterior, com dez pontes de embarque. A capacidade nominal é para 8 milhões de passageiros por ano. Entre as características do projeto estão ainda a readequação da via de acesso, finalização do pátio de aeronaves, estacionamento térreo descoberto para 2530 vagas, além do aumento de acostamento em pista de pouso.

Virtualização e Lean construction foram adotados na obra

A Racional foi responsável por todos os projetos básicos e executivos do empreendimento, assim como de todas as disciplinas e fornecimentos, como arquitetura, fundações, estrutura, MEP, infraestrutura, paisagismo, mobiliário operacional, iluminação, Wayfinding, BMS (Building Management System) e sistemas eletrônicos aeroportuários, BHS (Baggage Handling System) apoio de engenharia na aquisição de equipamentos especiais, além de memoriais e anteprojeto para o PGI (Plano de Gestão da Infraestrutura) e construção.

No empreendimento foram aplicados os conceitos do VDC (Virtual Design and Construction) a partir do modelo BIM (Building Information Modeling) desenvolvido para o projeto. Na fase de planejamento foram aplicados conceitos de Lean Construction, design for flow e modularidade de materiais e processos executivos.

Embora não tenha sido feito no modelo de projeto e construção, o novo terminal de passageiros do aeroporto de Confins, em Minas Gerais, faz parte da carteira da Racional. Ela também fez a reforma do Terminal 1 ainda em operação. Hoje, o aeroporto tem capacidade para 22 milhões de passageiros por ano. Nessa obra, Erika destaca que a construtora replicou a lógica de performance empresarial, com estrutura ágil de gestão, metas bem definidas e custos competitivo que adota em outros empreendimentos.

Já o modelo de design-builder é abarcado pela empresa há mais de 20 anos. Entre os projetos de destaque executados nesta modalidade está a fábrica da Jaguar Land Rover, em Itatiaia (RJ), inaugurada em junho de 2016. Nesse caso, o desenvolvimento dos projetos aconteceu concomitantemente com a construção da obra, o que possibilitou entregar a fábrica em operação em apenas 14 meses. Outro exemplo é a Arena MRV, nova casa do Atlético-MG, que será executada pela Racional.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *