Reciclagem de gás carbônico é projeto de multinacionais na geração de combustíveis

Redação – 05.11.2019 –

O gás carbônico gerado nas indústrias siderúrgicas podem ser reciclados e gerar biocombustíveis, como o bioetanol avançado, que é a segunda maior geração do tipo fabricada a partir de biomassa não alimentar. Esse é o projeto liderado pela ArcelorMittal em conjunto com a Lanzatech, com apoio do EU Horizon 2020 e atuação da Air Liquide, e que pretende funcionar já em 2021.

A primeira usina siderúrgica da ArcelorMittal com a solução ficará em Ghent, na Bélgica, e serve para demonstrar a solução em escala industrial na produção de bioetanol avançado a partir de gases residuais do processo de fabricação do aço. A construção está em andamento e o início da operação da planta está previsto para o final de 2020. A expectativa é de produzir 80 milhões de litros do combustível ao ano.

Nesse projeto, a Air Liquide fornecerá uma solução tecnológica que purifica os gases provenientes do alto forno. Os gases serão injetados em um biorreator para produzir bioetanol. “A parceria com a ArcelorMittal demonstra o nosso compromisso em contribuir para a redução das emissões de gases do efeito estufa. Esse também é um projeto claro das iniciativas com as quais a Air Liquide se comprometeu, como parte de seus objetivos para o clima. Nós nos empenhamos em superar os limites da inovação, a fim de reduzir as emissões de carbono da indústria e desenvolver soluções de tecnologia para que nossos clientes contribuam para a transição energética”, diz François Venet, vice-presidente sênior de estratégia e membro do Comitê Executivo do grupo Air Liquide.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *