Rodovias federais fecham semestre com quase 1 mil km de novas pistas

Redação – 08.07.2021 – Obras envolveram ainda pavimentações e restaurações segundo Ministério da Infraestrutura

O Brasil fecha o primeiro semestre com mais de 920 quilômetros de duplicações, pavimentações e restaurações para o incremento da logística de transportes em 43 entregas ao longo de rodovias federais. Os dados são do Ministério da Infraestrutura (MInfra) e incluem intervenções como a interligação de regiões ao restante da malha rodoviária do Brasil. É o caso da Ponte do Abunã, na BR-364/RO, uma reivindicação histórica da população de Rondônia e do Acre. Outras obras ampliaram a capacidade do escoamento da produção e contribuíram para o crescimento da economia e um dos exemplos é a duplicação da BR-116/RS, que já passa de 120 quilômetros de novas pistas em menos de dois anos.

08O ministério também faz um balanço de concessões, destacando o caso da BR-153/080/414/GO/TO, onde 850 quilômetros de pistas receberão nos próximos anos quase R$ 8 bilhões de investimentos. Outro destaque é a sanção da lei que estabelece o pagamento proporcional de tarifas nas futuras concessões rodoviárias federais sem a necessidade das praças de pedágio. O processo deve continuar no segundo semestre: estão previstos os leilões de concessões de três rodovias importantes para o país, que devem trazer mais R$ 23,6 bilhões de investimentos pela duração dos contratos.

A lista, nesse caso, inclui a BR-163/230/MT/PA, com leilão marcado para 8 de julho, e que será importante para o escoamento de grãos do Mato Grosso até o porto de Miritituba, no Pará. Também estão previstos para os próximos meses os leilões da Dutra, em conjunto com a Rio-Santos (BR-116/101/SP/RJ), e o da BR-381/262/MG/ES.

As obras em rodovias ainda não concedidas também devem ter continuidade no segundo semestre. São exemplos de obras federais as BRs 116/RS, 116/BA, 381/MG, 280/SC, 101/AL, 101/SE, 101/ES, 101/BA, 222/CE, 470/SC, 156/AP, 432/RR, 163/PA, entre outras. Também deverão ser finalizadas obras de mobilidade urbana em Imperatriz (MA), São José do Rio Preto (SP), Pelotas (RS), Santa Maria (RS), Petrolina (PE), e Uberlândia (MG).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *