Seis parques estaduais fazem parte de programa de concessão do BNDES

Redação – 01.02.2021 –

Banco já tem contratos com Bahia, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Tocantins

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) já conta com a adesão de seis estados no Programa de Estruturação de Concessões de Parques Naturais, lançado no fim de 2020. Pelo programa, o banco oferecerá suporte a processos de desestatização de serviços de visitação. Será concedido à iniciativa privada inicialmente um conjunto de 26 unidades de conservação e outros ativos correlatos.

Esses parques naturais estão nos estados de Bahia, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais, Pernambuco, Rio Grande do Sul e Tocantins. Nas próximas semanas, deverão ser assinadas parcerias também com outros estados. Pelos contratos, o BNDES vai oferecer apoio, avaliação, estruturação e implementação de projetos visando à concessão dos parques.

O programa de concessões de unidades de conservação vai atrair investimentos para aprimorar a qualidade dos serviços prestados em cada parque, com a consequente melhora da experiência dos visitantes. Os contratos vão prever melhorias desde investimentos básicos em infraestrutura, como banheiros, sinalização ao longo das trilhas e aparelhamento dos centros de visitantes, até o desenvolvimento de novos atrativos e equipamentos de recreação de acordo com a vocação de cada parque e com foco no ecoturismo e conservação ambiental.

O Parque Estadual do Jalapão e do Cantão serão o foco dos estudos do BNDES para viabilização de alternativa que conjugue boas práticas ambientais com geração de renda no Tocantins, por exemplo. Esses parques protegem deltas e a vegetação de cerrado que compõem a região, abrigando também cachoeiras, montanhas e nascentes naturais (fervedouros). Já o Mato Grosso do Sul deverá conceder cinco parques.

Embora com inegáveis atrativos naturais, o Brasil é apenas o 32º país no ranking Travel & Tourism Competitiviness Index 2019, embora seja o 2º. no destaque em recursos naturais, atrás apenas do México. Segundo pesquisa do Instituto Semeia de 2019, 55% dos parques brasileiros ainda não têm estrutura de apoio à visitação ou que garanta as necessidades básicas dos visitantes.

O Brasil conta com aproximadamente 450 unidades de conservação caracterizadas como parques, muitas com problemas de regularização fundiária, infraestrutura precária para visitação, além de falta de recursos para conservação das áreas protegidas. Enquanto no país essas unidades contam com um volume de 15 milhões visitantes ao ano, nos EUA essa cifra supera os 300 milhões.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *