Big Data invade o mercado de concreto

Por Rodrigo Santos – de Las Vegas – 22.01.2018 –

Solução foi pensada para garantir estabilidade e otimizar custos de projetos de misturas de materiais

Uma revolução digital está entrando paulatinamente no universo dos produtores de concreto e usa os recursos de Big Data. É o caso da Carmix, fabricante americana de equipamentos, que destaca o Concrete-Mate na World of Concrete (WOC 2018) desse ano. O sistema funciona como um gerenciador de projetos de misturas que usa informações coletadas diretamente das centrais de concreto (via sensores) e permite um controle mais apurado da qualidade e de custos.

Planta móvel 3500 TC para produção de concreto: com sensores, entra no Big Data

“Com esse sistema, gerenciamos a Carmix 3500 TC, equipamento top da empresa”, explica Manuela Galante, diretora de Marketing da Metalgalante, o cérebro por trás da oferta da fabricante. Segundo ela, trata-se de uma planta de preparo móvel e inteligente que, por ser monitorada constantemente via sensores, ofereceria um projeto de misturas mais estáveis e em linha com a demanda de clientes, incluindo as construtoras e empreiteiras.

Na prática, o Concrete-Mate permite que a ela possa operar com até 15 diferentes mixes de concreto e com a seleção de até 99 tipos de “ingredientes”. Esses materiais podem ser usados para a obtenção de múltiplas combinações em campo e o software,  com os dados de cada mix, é armazenado automaticamente, favorecendo a padronização de misturas. A solução também sugere ao operador da máquina a sequência e a dosagem de cada elemento.  O uso da tecnologia, de acordo com a Carmix, garantiria uma precisão de 3% a 5% em relação aos equipamentos mais sofisticados disponíveis.

O jornalista Rodrigo Santos, publisher do InfraROI, cobre a edição 2018 da WOC a convite da Informa Exhibitions, organizadora do evento e parceria de mídia do site.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *