BNDES está entre empresas mais bem avaliadas em ranking mundial de sustentabilidade

Redação – 14.09.2021 – Entre os pontos fortes do BNDES apontados por agência de classificação, está a integração avançada de fatores ASG nas atividades do banco 

O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está entre as empresas mais bem avaliadas do mundo pela Vigeo Eiris (V.E), agência de classificação associada à Moody’s Corporation que avalia o desempenho das organizações de acordo com critérios ambientais, sociais e de governança (ASG). Entre as 4.913 empresas participantes do ranking mundial, o BNDES se encontra na 86ª posição. Em mercados emergentes, entre as 848 organizações analisadas, o Banco está em 4º lugar. 

A V.E destaca como pontos fortes do BNDES a integração avançada de fatores ASG em atividades de investimento e empréstimo realizadas pelo Banco; a utilização de sistemas em padrão internacional para prevenir discriminação e promover carreiras no seu quadro de empregados; e o emprego de esforços abrangentes para evitar práticas de corrupção e mitigar riscos de lavagem de dinheiro em suas atividades. A avaliação do BNDES foi contratada no âmbito de uma carta-convênio firmada com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) para a promoção de instrumentos de finanças verdes. 

O chefe do Departamento de Relações com Investidores do BNDES, Gabriel Ervilha, explica que a avaliação por agências externas da incorporação de aspectos ASG nas políticas e operações das empresas vem sendo cada vez mais demandada por investidores. “Nesse sentido, o ótimo resultado no rating ASG valida a atuação do BNDES tradicionalmente voltada à sustentabilidade, nos posicionando entre os melhores do mundo nesse quesito, e também nos dá parâmetros para continuarmos com aperfeiçoamentos das nossas práticas.”  

“O BID tem muito orgulho de apoiar o BNDES a consolidar sua reputação internacional como uma instituição que atua segundo os mais altos princípios de ASG. Ajudar a fazer a conexão entre capitais internacionais comprometidos com a benefícios sociais e ambientais e atores atuantes nesse sentido na América Latina é parte central da estratégia do BID para promover a recuperação econômica da região, a nossa chamada Visão 2025”, diz Morgan Doyle, representante do Grupo BID no Brasil.  

Segundo a V.E, o BNDES apresenta um desempenho avançado em termos de integração dos padrões ASG em suas atividades de concessão de crédito. A agência de classificação afirma que isso se deve, entre outros fatores, à política operacional do Banco, que estabelece diretrizes, instrumentos e procedimentos a serem seguidos durante a avaliação de um projeto, com requisitos específicos para determinadas operações e setores. 

Quanto à estrutura de governança e aos processos de tomada de decisão, a agência destaca a criação, em maio de 2020, do subcomitê que trata de questões ASG dentro do Conselho de Administração, além da atuação de um comitê em nível operacional — existente desde 2014 —, que visa promover a integração da dimensão socioambiental nas políticas, processos e relacionamentos do Banco. 

Além disso, no âmbito das questões relativas às mudanças climáticas, a V.E ressalta o fato de o BNDES dispor de várias ferramentas de financiamento para apoiar a transição para uma economia de baixo carbono, como fundos temáticos (por exemplo, Energia Sustentável), produtos de crédito (é o caso do RenovaBio, para o setor de biocombustíveis) e títulos verdes. Também chamou a atenção da agência a representatividade das operações vinculadas aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU na carteira do Banco. 

A gestão de pessoal empreendida pelo BNDES foi outro ponto forte apontado pela V.E. De acordo com a agência, os mecanismos utilizados para prevenir a discriminação e promover a diversidade podem ajudar a garantir a atração e retenção de talentos para o Banco. Além do mais, afirma a V.E, “o emprego de sistemas avançados de treinamento e gestão de carreira pode fortalecer a capacidade do quadro funcional de manter as competências atualizadas, considerando a complexidade da atuação do BNDES e seus objetivos, para o Banco ter funcionários cada vez mais comprometidos com as questões ASG”. 

A agência de classificação reconhece ainda os esforços do Banco na prevenção à corrupção e à lavagem de dinheiro. Citando os cursos de atualização anuais obrigatórios para todos os funcionários e as medidas de controle interno, que incluem avaliação de riscos de corrupção dos clientes e procedimentos para identificação e acompanhamento de atividades incomuns ou suspeitas, a V.E conclui que “o compromisso do BNDES a esse respeito é bastante forte, tanto em suas operações internas quanto nos projetos que apoia”. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *