Brado adota táticas de exportação na logística interna

Da Redação – 03.04.2017 – 

Novas ações abrem espaço para maior uso de contêineres entre as regiões brasileiras, com uso de modais rodoviário e ferroviário. Empresa espera crescer em 30% o transporte desse tipo em 2017

A movimentação de contêineres, tradicional no comércio exterior, ganha espaço na estratégia da Brado. Com a iniciativa, a empresa passa a transportar, por exemplo, óleo de soja do Centro-Oeste para o interior de São Paulo usando rodovias e ferrovias, com a carga em contêineres. O mesmo deve acontecer na Ferrovia Norte-Sul, com soluções logísticas entre os estados do Pará, Maranhão, Tocantins, Goiás e São Paulo.

Para aplicar esta estratégia na prática, a Brado tem uma infraestrutura com 19terminais intermodais, 4 armazéns frigorificados e secos, 1 EADI e 4 escritórios no país. A frota da companhia inclui 13 locomotivas, mais 2,4 mil vagões e mais de 3 mil contêineres. Com isso, ela consegue atingir Sudeste, Centro-Oeste, Sul, Nordeste e Norte do País, a partir de uma equipe com 1,3 mil profissionais.

Segundo a Brado, uma série de avanços surge a partir da nova forma de atuação. A diversificação das cargas, por exemplo, abre acesso aos serviços de movimentação de contêineres para médias e pequenas empresas, que passam a usufruir das ferrovias e hidrovias brasileiras – modais que apresentam custos competitivos.

Entre as metas da Brado para 2017 está a execução de projetos de todo porte, atendendo a grandes, médias e pequenas empresas que precisam movimentar mercadorias em contêineres, além de diferentes tipos de cargas como frigorificados, grãos, caroço de algodão, madeira, óleo de soja, fertilizantes, químicos, entre outros. Com essa estratégia, a empresa pretende movimentar cerca de 90 mil contêineres anualmente, 30% além da marca alcançada nos últimos anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *