Calote da Abengoa pode custar até R$ 1 bilhão para fornecedores

Da redação – 10.03.2016 –

Abinee se reúne hoje com secretário Executivo do Ministério das Minas e Energia para equacionar crise criada pela recuperação judicial do Grupo Abengoa no Brasil.

Não bastasse todas as crises atuais no país, o setor elétrico enfrenta o perigo adicional de perder cerca de R$ 1 bilhão. O valor envolve os fornecimentos feitos para o grupo espanhol Abengoa, que pediu recuperação judicial. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica (Abinee), o valor envolve várias empresas ligadas à associação. Para algumas delas, as vendas feitas – e com risco de não serem honradas – podem representar até 70% da capacidade produtiva. Detalhe: o R$ 1 bilhão estimado pela Abinee envolve somente os equipamentos fornecidos.

Para equacionar o problema, o presidente da entidade, Humberto Barbato, tem uma reunião agendada para hoje com o secretário executivo do Ministério das Minas e Energia, Luiz Eduardo Barata. Na pauta do encontro estão a recuperação judicial da multinacional espanhola e suas implicações nas concessões de transmissão de energia elétrica para as associadas da entidade.

Barbato defendeu uma solução urgente que preserve a saúde financeira das empresas do setor. “Precisamos evitar que indústrias tradicionais interrompam suas operações no País, o que poderia agravar ainda mais o quadro de desemprego no Brasil”, alertou.

Nas últimas semanas, o presidente da Abinee manteve reuniões com o ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Armando Monteiro; com o diretor geral da Aneel, Romeu Rufino; e com o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB- RN), presidente da Comissão de Infraestrutura do Senado, para tratar do assunto.

“Manifestamos a preocupação das empresas do setor elétrico com o caso Abengoa e pedimos às autoridades para que possamos participar das discussões e decisões do governo sobre este problema”, afirmou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *