Cinco institutos federais aderem à geração fotovoltaica

Da redação, com assessoria de imprensa – 23.02.2016 –

Responsável pelos projetos, a Alsol Energias Renováveis vai instalar cerca de 4,2 mil módulos fotovoltaicos totalizando 1,085 MWp de potência instalada.

Cinco institutos federais acabam de formalizar sua adesão à geração fotovoltaica. A lista inclui a instituição do Mato Grosso (IFMT), Piauí (IFPI) e Minas Gerais (IFMG), além do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade (ICMBIO), localizado na Paraíba, contarão com projetos de geração de energia fotovoltaica, capazes de gerar energia elétrica a partir da radiação solar. O projeto piloto, idealizado pela Alsol Energias Renováveis, foi instalado no ano passado, no Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN), que também irá expandir este ano.

“A empresa participou de um pregão eletrônico em 2014, no qual conseguiu vencer a licitação. Foram instalados três sistemas de 28,6 kWp, no telhado do IFRN de Natal, e outros dois sistemas de 28,6 kWp sobre o estacionamento do IFRN na cidade de São Gonçalo do Amarante. Como o processo tem validade de um ano, conseguimos obter a adesão de outros institutos”, afirmou o diretor técnico da empresa, Gustavo Malagoli. Ao todo, serão instalados 38 sistemas fotovoltaicos que vão somar 4.180 painéis e uma potência total instalada de 1,085  Megawatt-Pico.

Ativações vão somar 1.085 MWp
Ativações vão somar 1,085 MWp

Ainda segundo Malagoli, a instalação dos sistemas em institutos federais permite, além da divulgação da tecnologia em todo o Brasil, a validação da tecnologia em solo brasileiro. “Cada uma dessas instituições se torna um protótipo real para a avaliação do potencial real da geração de energia solar em seus respectivos locais”, De acordo com ele, o desafio da empresa é coloca-los em operação o quanto antes, já que as instalações ocorrerão em 5 estados distantes entre si.

Os institutos federais oferecem educação superior, básica e profissional, especializada na oferta de educação profissional e tecnológica nas diferentes modalidades de ensino, sendo vinculados ao Ministério da Educação.

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *