Consumo de gás natural pode indicar aquecimento da economia

Da Redação – 19.10.2018 –

Demanda em agosto ultrapassa 30 milhões de m³/dia pela 1ª vez em 38 meses

O consumo de gás natural pela indústria aumentou 7% entre agosto desse ano e o mesmo período de 2017. E, pela primeira vez, ultrapassou a marca de 30 milhões de m³/dia alcanaçada em abril de 2015. Em agosto desse ano, o volume registrado foi de 30,3 milhões de metros cúbicos/dia. As informações fazem parte do levantamento estatístico da Associação Brasileira das Empresas Distribuidoras de Gás Canalizado (Abegás), feito com concessionárias em 20 estados, reunindo dados em diversos segmentos: residencial, comercial e automotivo, entre outros.

“É o maior volume de consumo da indústria registrado pela Abegás em sua série histórica desde 1998. Isso se deve à gradual retomada da economia depois de anos de recessão e, também, ao fato de a indústria cada vez mais apostar no gás natural como fonte energética limpa, eficiente e mais segura do ponto de vista logístico”, comenta o presidente executivo da Abegás, Augusto Salomon.

De acordo com ele, o setor pode atrair investimentos de até R$ 32 bilhões e gerar 20 mil empregos por ano caso sejam adotadas medidas para aumentar a concorrência e competitividade do setor. A lista de iniciativas incluiria o acesso a gasodutos de escoamento, a unidades de tratamento de gás natural e a terminais de regaseificação de gás natural liquefeito (GNL), entre outras. ”Nesse sentido, é salutar a Tomada Pública de Contribuições lançada pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis. Essa iniciativa conta com o nosso apoio e será fundamental para a expansão da infraestrutura do País”, destaca o presidente executivo da Abegás.

O crescimento do consumo de Gás Natural Veicular (GNV) é um dos destaques do levantamento de dados em agosto. O uso do GNV teve uma alta de 16,1% em relação a agosto do ano anterior e de 11,8% no acumulado do ano. Na comparação com julho, a evolução foi de 3,5%. A estimativa da Abegás é que o crescimento do consumo do GNV seja de 12% em 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *