Elgin anuncia lançamentos e quer crescer 150% em energia solar neste ano

Redação – 22.03.2021 –

A distribuidora de equipamentos fotovoltaicos Elgin quer ampliar o volume de negócios de geração de energia solar em 150% neste ano. Para isso, ela deve contar com o crescimento de empresas integradoras, que atuam em projetos para residências, comércios, indústrias e propriedades rurais.

“Visando ampliar o suporte aos integradores de sistemas solares em projetos de maior capacidade, a Elgin contará com inversores de 208kW, objetivando principalmente a redução de custos e aumento de eficiência. Este modelo de inversor string é um diferencial nosso e trará grandes benefícios para os integradores que optarem em trabalhar com o equipamento nos projetos de seus clientes”, diz Glauco Santos, diretor da divisão de Energia Solar da Elgin

Outro lançamento da empresa são os inversores híbridos de 3,6kW, 5kW e 8kW, com características on-grid e off-grid, uma tendência global que possibilita estar conectado à rede de energia elétrica e, ao mesmo tempo, conectado a um banco de baterias para armazenamento e uso da energia em horários programados ou momentos de interrupção de energia da rede. “Além das funções híbridas, o produto viabiliza a nossa entrada no mercado off-grid, para aplicações em sistemas isolados, os quais são bastante utilizados em áreas rurais ou remotas do Brasil”, acrescenta Santos.

A empresa também terá no portfólio o painel solar fotovoltaico monocristalino de 440W, com uma eficiência melhorada. “Já na área comercial, pretendemos ampliar a rede de parceiros integradores em todo território nacional, apoiando sempre com soluções e produtos inovadores, além de treinamentos frequentes e suporte técnico especializado”, diz.

A perspectiva de crescimento para este ano segue a mesma curva de resultado obtido pela empresa no ano passado, quando foi registrado um aumento de 140% nos negócios. No período, os geradores residenciais lideraram os pedidos na Elgin, com 85% de participação, seguidos pelos geradores comerciais (10%) e industriais (5%).

Glauco Santos explica que o crescimento se deve principalmente à disponibilidade de produtos para pronta-entrega, ampliação do portfólio e condições comerciais mais competitivas. “Fatores internos também contribuíram para este resultado, como a criação da diretoria de energia solar, o investimento em pessoas (estruturação e capacitação da equipe), as melhorias no processo logístico e a expansão da atuação comercial com parceiros integradores em mais regiões”, conclui.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *