Em pleno chororô, GE dobra de tamanho no Brasil

Da Redação 07.04.2014

A empresa cresceu 100% de 2010 até 2014, aplicou 500 bilhões de dólares no ano passado e vai investir mais neste ano

GEO muro das lamentações por qual têm debruçado algumas industrias no Brasil parece ter deixado a GE do lado de lá. As encomendas da filial brasileira durante 2014 alcançaram 4,4 bilhões de dólares, mais do que o dobro de 2010, quando esse número foi de  2,3 bi. Para a multinacional, isso é reflexo dos investimentos feitos nesse período, além de uma gestão focada no longo prazo e da potência de negócios que tem o Brasil. “Somos uma empresa de infraestrutura e inovação, o que nos habilita a colaborar com a retomada do crescimento econômico, que passa obrigatoriamente por estas duas frentes“, diz Reinaldo Garcia, presidente e CEO da GE para a América Latina.

O desempenho positivo ampliou a participação do Brasil nos resultados da GE na América Latina. Hoje, o país representa quase 50% do volume de negócios registrados na região e, dessa forma, o Brasil também se consolida como o terceiro maior mercado mundial da GE – atrás somente dos Estados Unidos e da China.

A boa performance da empresa no país reflete um ano de conquistas, marcado principalmente pela inauguração, no Rio de Janeiro (RJ), do primeiro Centro de Pesquisas Global na América Latina, cujo aporte foi de US$ 500 milhões. A expansão da GE Celma, umas das principais unidades mundiais de reparo e manutenção da empresa no mundo e que se tornou a única unidade fora dos EUA habilitada para montagem de turbinas aéreas da GE, também foi outra conquista destacada pela companhia em 2014.

Para 2015, a empresa programa investimentos de US$ 100 milhões para ampliar a capacidade da unidade localizada em Petrópolis (RJ), que poderá revisar mais de 500 motores aeronáuticos de grande porte até 2020. “Os planos da GE para o Brasil permanecem inalterados. Mantivemos investimentos de longo prazo mesmo em momentos de instabilidade na economia mundial. Assim, seguimos expandindo os negócios locais para continuar a parceria histórica com o Brasil, provendo cada vez mais inovação para os grandes desafios do País”, diz Reinaldo Garcia.

Histórico de Investimentos
Em novembro de 2010, a GE anunciou que investiria 550 milhões no Brasil até o final de 2013. Em maio daquele ano, baseada em três prioridades – localização, novas fábricas e projetos de infraestrutura – a companhia expandiu seus investimentos para 1,3 bilhão de dólares, abrangendo o período de 2011 a 2016.

Em novembro de 2014, o CEO mundial da GE, Jeff Immelt, anunciou durante a inauguração do Centro de Pesquisas Global, na capital fluminense, a duplicação do investimento na unidade, que saltou de $ 250 milhões para US$ 500 milhões de dólares. Com isso, atualmente, a GE triplicou o montante inicial e dedica ao Brasil um aporte superior a US$ 1,5 bilhão, válido até 2020.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *