ESG, uma nova moeda no ecossistema do dinheiro

InfraDigital (*) – 26.07.2021 – Hoje, esses três aspectos (Ambiental, Social e Governança) formam a sigla do momento, o ESG – do inglês ‘environmental, social and governance’ -, que se tornou pilar indispensável para as companhias do futuro. Nesta linha, o terceiro episódio da série “O futuro do Dinheiro” entrevista Elias Rogério, presidente da Diebold Nixdorf no Brasil.

O executivo comenta sobre o fortalecimento do conceito ESG após Larry Fink, o CEO da BlackRock – uma das maiores gestoras de investimentos do mundo – usar a sua carta anual tradicional para informar que a sua gestora “colocou a sustentabilidade como centro da política de investimentos”. Para vários setores do mercado, esta é uma das demonstrações de que o dinheiro corporativo está, de fato, ficando verde, e não só na cor da cédula. Ele também conta como a Diebold, na posição de indústria, reviu todo o seu modelo de produção, sob o guarda-chuva da Indústria 5.0, e alinhou o processo produtivo aos indicadores do ESG.

Segundo Elias Rogério, além do avanço produtivo dos ATMs (mais conhecidos como caixas eletrônicos), as novas tecnologias integradas aos equipamentos tendem a contribuir para a redução da circulação de malotes, carros-fortes e outros modelos logísticos, contribuindo para a redução da emissão de poluentes como gás carbônico e materiais particulados, responsáveis pela maior parte do aquecimento global.

Segundo a Diebold, o Brasil tem cerca de 180 mil caixas eletrônicos e a Diebold estima que 12% deles, ou cerca de 21 mil, estão equipados com recicladores. Ouça o Podcast neste link.

* O InfraDigital é um projeto comum de conteúdo do InfraROI e o do IPNews. Para informações sobre o formato, consulte Jackeline Carvalho (jackeline@cinterativa.com.br), Nelson Valêncio (nelson@canaris-com.com.br) ou Rodrigo Santos (rodrigo@canaris-com.com.br).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *