Estrada do Belmont, em RO, recebe pavimento feito à base de solo cola

Da Redação – 20.10.2016 –

Segundo o DER, tecnologia é mais resistente e pode ajudar a reduzir os custos totais das obras em rodovias.

O Departamento Estadual de Estradas de Rodagem, Infraestrutura e Serviços Públicos de Rondônia (DER) está testando um novo produto na Estrada do Belmonte, localizada na capital do Estado. Trata-se do solo cola, um enrijecedor de solo natural, utilizado em bases e sub-bases de pavimentos viários. Segundo a empresa, essa será a primeira via pavimentada com a solução, que promete ser mais resistente que as demais.

Martin Mauro, técnico da empresa Dura Terra, que fornece o solo cola, explica que a maior resistência é possível porque as moléculas do produto criam uma coesão ao entrarem em contato com o mineral do solo. “O produto cria altos índices de suporte, ou seja, nem mesmo as cargas pesadas poderão quebrar o solo”, disse Martin.

Segundo Ezequiel Neiva, diretor-geral do DER, uma das funções da adoção do solo cola será proteger a camada enrijecida dos efeitos destrutivos da água (devido a uma propriedade chamada hidrorepelente), reduzindo os custos de manutenção da obra. “Ele também elimina o emprego de enormes volumes de materiais granulares nobres, como britas industrializadas e/ou cascalho, que estão cada vez mais escassos e onerosos para aquisição, deposição, e distribuição nos canteiros”, frisou Neiva.

A otimização do tempo e ganho de produtividade é outro fator levantado por Neiva, uma vez que as bases e sub-bases proporcionarão qualidade adequada para a fase de acabamento final, ainda na etapa de terraplenagem e compactação das vias. “Elimina-se, portanto, uma etapa operacional demandante de tempo e uso intensivo de equipamentos e máquinas pesadas nas atividades de bases e sub-bases”, finalizou.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *