Europa quer expandir a geração de energia no mar

Da Redação – 20.02.2017 – 

Com o projeto Opera, em execução na costa da Espanha, a União Europeia espera reduzir em 50% os custos com a geração de energia pelas ondas do mar.

Uma experiência em curso no litoral da Espanha promete abrir novos caminhos para a geração de energia a partir das ondas do mar, que já conta com diversos projetos em diferentes estágios de implantação no Atlântico Norte. Trata-se do projeto Opera (Open Sea Operating Experience to Reduce Wave Energy Cost), financiado pela União Europeia, que como o próprio nome diz, tem o objetivo de reduzir os custos dessa tecnologia, para viabilizar sua aplicação em escala de mercado.

Para isto, as empresas e universidades envolvidas no projeto desenvolveram um gerador que opera como uma boia, flutuando em mar aberto enquanto produz energia a partir da movimentação das ondas e marés. O gerador Marmok nada mais é do que uma grande tubulação de 42 metros de comprimento por 5 metros de diâmetro, que emprega o conceito de coluna d’água oscilante para o acionamento das duas turbinas de 30 kV cada, instaladas em seu interior.

Lançado ao mar, o gerador fica com a maior parte de sua estrutura submersa e as ondas capturadas criam uma coluna d’água dentro desta grande boia. A movimentação das águas aciona um pistão no interior da estrutura, que comprime e descomprime continuamente o ar em uma câmara na parte superior do dispositivo. Este ar, então, é expelido pelo topo, acionando as turbinas cuja rotação coloca o gerador em movimento.

Os pesquisadores envolvidos no projeto avaliam que a tecnologia pode reduzir o custo da geração de energia em mar aberto em até 50%. O fator custo, aliás, figura como uma das principais barreiras para a aplicação da tecnologia em escala de mercado, apesar do enorme potencial de geração de energia limpa nos mares e oceanos. Além disso, como o Opera é um projeto público, com dados compartilhados entre pesquisadores de várias universidades, os governos europeus podem estabelecer padrões, de forma a reduzir as incertezas tecnológicas e os riscos empresariais na adoção da tecnologia.

O primeiro gerador Marmok, com 80 toneladas de peso, foi lançado a uma distância de 1.700 metros do litoral de Biscaia, na Espanha, em agosto de 2016. Outro protótipo do dispositivo já está em produção para ser lançado no mesmo local, em agosto deste ano. O projeto Opera, que terá uma duração de três anos e meio, prevê a instalação de várias colunas d’água desse tipo em mar aberto, interligadas entre si, para a montagem de plataformas de geração de energia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *