Ferramenta do BID ajuda investidores a procura de projetos de PPP em infraestrutura no Brasil

Redação, com BID – 04.09.2020 –

Material funciona como um guia para governos e setor privado, impulsionando investimentos mais eficientes

Estudos apontam que a necessidade de investimento em infraestrutura do Brasil gira em torno de 1,2 trilhão de dólares. Considerando o potencial das Parcerias Público-Privadas para fazer frente a esse desafio, o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e o Global Infrastructure Hub (GI Hub) se uniram para tornar o conhecimento especializado sobre alocação de risco mais acessível para o setor público.

A tradução para o português da Ferramenta de Alocação de Riscos em PPPs  do GI Hub é um dos resultados da parceria entre o BID e o GI Hub. O material foi desenvolvido como um guia de referência para governos e outros stakeholders na decisão sobre a alocação correta dos riscos em projetos em um dado projeto PPP, bem como potenciais medidas de mitigação de risco. A tradução também responde à necessidade observada no Relatório de Estruturas a Serviços do BID, de que a América Latina e o Caribe precisam tornar-se mais eficientes no investimento em infraestrutura e de que as PPP fazem parte da solução.

Lançada em português em 2020, a ferramenta inclui um conjunto de matrizes de alocação de risco para transações PPP por meio de 18 tipos de projetos, incluindo setores de energia, transporte, água e saneamento, comunicação e infraestrutura social. Ela também detalha medidas disponíveis de mitigação de risco e identifica fontes potenciais de apoio governamental.

Representante do BID no Brasil, Morgan Doyle, explica a importância de impulsionar o setor de infraestrutura no país. “O Brasil e os países vizinhos podem e devem obter melhores resultados dos investimentos feitos em infraestrutura. Nosso estudo mostra, por exemplo, que mensurar riscos corretamente, fortalecendo a fase de pré-projeto, reduzindo atrasos e custos imprevistos, equivaleria a aumentar em 35% o valor investido em obras. É um dinheiro que, ainda mais no pós-pandemia, a região não poderá seguir desperdiçando”, afirma.

A alocação e a gestão contínua de riscos em projetos são fatores críticos para o sucesso de qualquer PPP e determinam se um projeto vai satisfazer as necessidades do governo, terá uma boa relação custo-efetiva para os cidadãos e será financeiramente viável para o setor público. A ferramenta permite que os profissionais obtenham uma visão geral das áreas chave de risco, identifiquem tendências de alocação de risco e tenham uma visão sobre a lógica para as alocações e possíveis abordagens para gerenciar o risco de forma proativa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *