Gestão de ativos com dados de IoT será diferencial competitivo

Por Paulo Lerner (*) – 03.10.2016 – 

Utilizando uma combinação de tecnologia, hardware e software, o gerenciamento de dispositivos móveis consegue gerir, com mais precisão, os custos e funcionários através de uma monitorização em tempo real dos dados 

O conceito de Internet das Coisas (IoT) não é mais uma coisa tão recente e muito se profetizou a respeito da enorme mudança que conectar equipamentos à internet traria para pessoas e empresas. Mas o que fazer com os dados fornecidos por um hardware comum quando ele se transforma em algo smart?

Precisamos pensar além do frisson que a IoT trouxe e entender que a internet é um mecanismo, e que estar conectado é apenas abrir a porta para a oportunidade de expandir a capacidade de um equipamento e extrair informações dele. Essa é a grande vantagem competitiva que precisa ser percebida pelas companhias. A partir dela, será possível efetuar novas análises e mudar o processo produtivo, oferecendo serviços com previsão mais eficaz, otimização de processos e experiências que gerem valor. Isso se torna uma nova fonte de receita para as empresas.

Ainda existe muito espaço para expansão da utilização da IoT além de simplesmente rastrear veículos de frotas. Por meio da telemetria e logaritmos com funções específicas é possível coletar dados de inúmeros ativos, da temperatura e necessidade de manutenção de um refrigerador em um ponto de venda ao trabalho que uma equipe em campo está desenvolvendo.

É nesse momento que o Gerenciamento de Dispositivos Móveis (MRM – Mobile Resource Management) atua. Ele recebe os dados provenientes da conectividade dos hardwares e os transforma combustível para operações. Ele permite que o gestor saiba onde os recursos móveis de uma empresa estão, mapear seus deslocamentos e onde eles devem estar para gerenciar a força de trabalho e melhorar a resposta à demanda dos clientes. Além da redução dos custos operacionais, a gestão remota de ativos impactará a forma que vivemos e os processos produtivos das companhias.

Utilizando uma combinação de tecnologia, hardware e software o gerenciamento de dispositivos móveis consegue mais do que dizer onde um ativo está localizado. É possível gerir com mais precisão os custos e funcionários através de uma monitorização em tempo real dos dados como, por exemplo, consumo de combustível, rotas reais tomadas, consumo de materiais e atividade de equipes em campo.

Saber que existem ferramentas voltadas para redução de custos e eficiência operacional, especialmente na atual situação econômica do país, pode ser o empurrão que as empresas precisam.

Paulo Lerner é CEO da PV Inova, empresa brasileira que desenvolve e comercializa tecnologias para gestão de ativos de campo desde 2005.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *